A alimentação no novo padrão de consumo

Bianka Correa

Bianka Correa Gazeta Digital

As operações na área da alimentação estão na moda. O cenário econômico mundial (incluindo o Brasil) vem sofrendo transformações e este movimento gera mudanças no padrão de consumo. O novo consumidor já não sai apenas para fazer compras e o cliente da era pós-consumismo investe, atualmente, mais em alimentação e experiências do gênero do que quando olhamos para o início dos anos 2000. 

 

Segundo dados da Associação Brasileira de shopping Center (Abrasce), 37% dos frequentadores vão ao shopping fazer compras.  A outra parcela de 73% vai ao shopping em busca de diversão, socialização e alimentação.

 

Esta postura do novo consumidor é totalmente compreensível afinal, se for somente pra comprar, posso fazê-lo por meio do celular, sem precisar colocar os pés fora de casa. Porém, as redes sociais não nos permitem exercer a socialização na forma física, ou seja, não suprem esse prazer proporcionado pelo contato interpessoal. A pirâmide de Maslow – um conceito criado para explicar as necessidades humanas – prova essa vontade de socializar para fortalecer os laços de amizade. 

 

Analisando essa tendência de consumo mundial e trazendo-a para a realidade cuiabana, notamos que o cenário é exatamente o mesmo. Já perceberam como os espaços de uso público que ofertam operações de alimentação, aliados ao lazer, estão sempre cheios e movimentados? 

 

Nos shoppings da cidade os cafés de, um modo geral, costumam ficar lotados, confirmando cada vez mais essa necessidade de socialização entre pessoas. Quem aí nunca marcou uma reunião em um café? É, caro leitor, o ramo da alimentação está em alta! Food is the new fashion, como se diz. 

 

O Taste Lab Coletivo Gourmet, no Shopping Estação Cuiabá, por exemplo, é uma novidade que foi muito bem recebida pelos habitantes da cidade ao apresentar um novo formato de negócio. Já é, sem dúvida, um case de sucesso.  

 

Inspirado nos melhores mercados gastronômicos da Europa, o Taste Lab traz um novo conceito de espaço coletivo que oferece alimentação e lazer em um só local, seguindo a tendência de consumo atual da sociedade. O espaço foi premiado como melhor empreendimento pela Abrasce na categoria novos negócios. Outra prova inquestionável desse sucesso está no volume de pessoas que circulam pelo ambiente, algo em torno de 5 mil por dia de operação.

 

Com isso, não restam dúvidas de que a alimentação está em alta nesse mercado que ainda tem muito potencial a ser explorado.  

 

Bianka Correa é arquiteta e urbanista em Cuiabá, especialista em design de varejo.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: