Apesar da alta em passageiros, fluxo de carga em Viracopos tem pior outubro desde 2016


De acordo com a concessionária, terminal movimentou 18,2 mil toneladas durante o mês, número mais baixo desde 2016, quando houve a circulação de 14,7 mil toneladas. O Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP), registrou o pior fluxo de cargas em outubro desde 2016. De acordo com um levantamento feito pelo G1 com base em dados da concessionária Aeroportos Brasil, que administra a estrutura, o terminal movimentou 18,2 mil toneladas durante o mês, número mais baixo desde 2016, quando houve a circulação de 14,7 mil toneladas no período. O número contraria a boa fase do aeroporto na movimentação de passageiros. De janeiro a outubro de 2019, passaram pelo empreendimento 8,8 milhões de pessoas, número mais alto desde a privatização, na metade de 2012. Antes, o fluxo recorde no período havia sido em 2015. O terminal prevê terminar o ano com o melhor número da história. Além da queda em outubro, o acumulado dos dez meses do ano também teve redução. De janeiro a outubro, o Terminal de Cargas de Viracopos movimentou 178,6 mil toneladas, o que equivale a uma diminuição de 8% em comparação com as 194,7 mil toneladas do ano passado, quando o aeroporto teve o melhor ano da história da concessão no fluxo de cargas. Os índices correspondem a importação, exportação, cargas domésticas e remessas expressas.
Segundo os dados da concessionária, o fluxo de cargas domésticas registrou aumento de 242% em relação ao ano passado, passando de 8,5 mil toneladas de janeiro a outubro para 29,2 mil toneladas no período. Já as movimentações internacionais, que reúnem exportações e importações, caíram de 186,1 mil para 149,3 mil, o que equivale a uma redução de 19,7%. A concessionária Aeroportos Brasil informou, em nota, que a diminuição do volume de cargas está diretamente ligada à queda do Produto Interno Bruto (PIB) nacional. No terceiro trimestre, a economia brasileira registrou crescimento de 0,1%, na comparação com os 3 meses anteriores, segundo dados do Monitor do PIB-FGV, divulgados pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) na quinta-feira (21). “Outro fator para explicar esta queda é que ela reflete uma tendência apresentada em nível mundial, conforme estudo da Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA), a demanda global por transporte aéreo de carga (…) teve queda 4,8% em junho em relação a igual mês de 2018, configurando a oitava baixa consecutiva nessa base de comparação”, diz o texto da nota.
Elefanta e assalto
O mês de outubro foi atípico para o setor de cargas de Viracopos. No dia 16, a elefanta Ramba desembarcou no aeroporto, depois de viver anos em cativeiro no Chile e ser vítima de maus-tratos, com uma megaoperação. A ação contou com o auxílio de 30 pessoas e a união da concessionária que administra o terminal, além da Receita Federal, Ibama, Ministério da Agricultura e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), entre outros órgãos.
Um dia depois, o terminal de cargas foi assaltado por uma quadrilha fortemente armada. Os suspeitos invadiram o local, assaltaram um carro-forte e fugiram com dois malotes. O roubo terminou com três suspeitos mortos, cinco pessoas feridos, armas apreendidas e dinheiro recuperado. Depois de um mês, o caso continua com perguntas sem respostas. Terminal de cargas de Viracopos teve queda na movimentação em outubro
Imprensa Viracopos
Veja mais notícias da região no G1 Campinas

%d blogueiros gostam disto: