Aplicativo educativo ‘dá voz’ às árvores da Mata Atlântica


Ao detectar uma das cinco espécies catalogadas, o app libera um conto em texto e áudio; artistas da música brasileira gravaram as histórias. Cinco espécies da Mata Atlântica estão catalogadas no aplicativo
Natu Contos/Divulgação
E se as árvores falassem? Centenárias, elas poderiam contar detalhes e segredos das florestas brasileiras. Pode parecer loucura, mas com a tecnologia é possível aproximar crianças, jovens e adultos de suas raízes, através de experiências educativas. Esse é o objetivo do “Natu Contos”, um aplicativo gratuito que garante acesso a contos infantis através da interação entre tecnologia, literatura e contato com a Mata Atlântica.
“A natureza é algo que inspira e até salva as pessoas, mas como o ser humano tem perdido essa conexão a gente decidiu usar uma plataforma atual para levar as pessoas à natureza, criando um vínculo afetivo com as árvores da cidade”, explica a idealizadora do projeto, Fernanda Sarkis Coelho. Aplicativo está disponível para IOS e futuramente será liberado para plataforma Android
Natu Contos/Divulgação
Lançada em abril deste ano, a plataforma, desenvolvida em parceria com a ONG SOS Mata Atlântica, conta com conteúdo lúdico e original que proporciona uma atividade divertida ao ar livre: basta encontrar uma das espécies cadastradas para ter acesso a um vídeo animado com um conto em texto e em áudio.
“As pessoas veem as árvores como um pedaço de madeira, mas cada uma tem um tipo e uma forma única de viver. O aplicativo tem a função de trazer notoriedade para elas”, comenta a redatora e roteirista, que espera incentivar o interesse dos jovens pela natureza.
“Quem sabe a nova geração, ao entrar em contato com as árvores de uma forma lúdica, possa no futuro se interessar pela conservação do Planeta como um todo”, diz. O projeto busca reconectar crianças, jovens e adultos à natureza
Natu Contos/Divulgação
Nesse sentido, a idealizadora projetou uma ferramenta educativa, indicada não só para reunir a família como também para tirar o aluno da sala de aula e proporcionar experiências diferentes. “É a tecnologia sendo usada para afastar os jovens da própria tecnologia”, brinca. Além de um papel fundamental nas cidades e no ecossistema, as árvores têm uma história muito interessante por trás
Autores e artistas da música brasileira colaboraram com o projeto
Arte/TG
Vozes da Mata Atlântica
Nesse projeto, autores premiados da literatura infanto-juvenil e artistas da música brasileira dão voz ao bioma. Atualmente, a plataforma traz cinco contos para cincos espécies diferentes, nativas da Mata Altântica: pau-ferro, ipê-amarelo, jequitibá, embaúba e pau-brasil
“Todos amaram a oportunidade de dar voz para essas árvores e gostaram também da proposta do projeto, que utilizar tecnologia e literatura para reconectar as pessoas com a natureza”, comenta Fernanda. Aplicativo gratuito ‘dá voz’ às árvores da Mata Atlântica
Como funciona?
Mapeadas pela redatora e roteirista, árvores de cinco espécies diferentes estão catalogadas no aplicativo. “O mapa mostra onde o usuário está e onde a árvore fica. À medida que ele anda, a metragem vai diminuindo e, ao chegar ao ponto final, é surpreendido por uma animação que antecede o conto”, explica.
Ao encontrar uma das espécies, o usuário tem acesso à história, que fica salva em uma biblioteca virtual junto à ficha técnica de cada árvore, e pode ser relida e ouvida inúmeras vezes
Contos e fichas técnicas ficam salvas em biblioteca virtual
Natu Contos/Divulgação
“Com ajuda do botânico Antônio Campos Neto fiz as fichas, incluindo curiosidades das árvores. A partir dos dados morfológicos, expandimos para a literatura, para o lado lúdico”, comenta Fernanda, que destaca um dos contos como exemplo.
“A embaúba, por exemplo, é a árvore preferida do bicho-preguiça, é casa para formigas e tem frutos saborosos que atraem outras aves. Essas informações ajudaram na criação do conto”, revela.
As árvores já inspiraram milhares de poetas, pintores e artistas. Elas são tão carregadas de cultura que até o nome do nosso país veio de uma árvore
Jovens e adultos podem se divertir com a experiência Natu Contos/Divulgação
Onde elas estão?
O aplicativo já foi cadastrado em parques e praças das cidades de São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ) e Uberaba (MG), mas a ideia é mapear mais pontos de acesso. Para tanto, a equipe do SOS Mata Atlântica, junto à idealizadora, apostam em uma vaquinha virtual para arrecadar a verba necessária. O valor estipulado conta também com a extensão do aplicativo para Android, uma vez que o Natu Contos só funciona para sistema IOS
Confira em quais parques o aplicativo está habilitado
Natu Contos/Divulgação
“Pretendemos estender o funcionamento para outras plataformas e aprimorar algumas funções. No futuro, espero mapear outras espécies em diferentes parques do Brasil”, comenta Fernanda, que comemora a quantidade de doações feitas até agora. “Faltam pouco mais de 500 reais para bater a meta. Eu estou muito grata, porque ultimamente perdemos um pouco a fé na humanidade e o projeto retomou isso. É da natureza das pessoas fazer a diferença no mundo e colaborar com a natureza, com a educação e com o ser humano. Estou muito feliz”, completa. As informações morfológicas das espécies inspiraram a criação dos contos
Natu Contos/Divulgação
Amiga das árvores
Admiradora da flora Brasileira, Fernanda sempre reconheceu o poder das árvores. Por isso aposta no projeto como ferramenta para aproximar as pessoas das espécies. “Sempre amei o convívio com as árvores e sempre fui muito agradecida a elas. Eu olho para elas como entidades que oferecem muito pra gente, no entanto, muitos não reconhecem esse valor”, comenta a redatora, que aproveitou para aprender e compartilhar informações técnicas. “Eu sempre tive curiosidade de saber o nome das árvores e foi algo que o projeto me proporcionou. Eu me coloco muito do lado dos usuários, pois muita gente ama as árvores, mas se distancia pela falta de conhecimento”, finaliza. Com a verba arrecadada será possível aperfeiçoar o app e disponibilizá-lo para Android
Natu Contos/Divulgação

%d blogueiros gostam disto: