Ciberataque atinge computadores do Ministério Público de Rio Preto

Alguns computadores do MP foram invadidos, o que afetou o trabalho. Ciberataque foi em larga escala e abrangeu vários países.

Computadores do Ministério Público de São José do Rio Preto (SP) foram invadidos nesta sexta-feira (12) durante os ciberataques em larga escala, o que afetou o trabalho do MP e também do fórum da cidade. Os computadores ligados ao sistema ficaram inoperantes e alguns apresentam mensagens de que era necessário um pagamento para acessar os arquivos. Uma equipe técnica do Ministério Público de São Paulo virá para Rio Preto para avaliar a situação.

Ainda não se sabe se o ataque prejudicou os conteúdos dos servidores. Em Rio Preto, a falta do sistema prejudicou o atendimento ao público e também o andamento de processos.

O Judiciário estadual admitiu que computadores da instituição foram infectados, o que motivou “o desligamento de todas as máquinas” do órgão em todo o estado. Segundo comunicado, a medida ocorreu “por cautela”.

Apesar de o expediente ter continuado ao longo do dia, os prazos processuais foram suspensos para efeito de contagem dos processos, pois não é possível fazer consultas com o sistema interno fora do ar. Não há previsão de religamento do sistema. A Prodesp, Companhia de Processamento de Dados do Estado de São Paulo, emitiu uma nota no fim da tarde desta sexta-feira sobre o assunto (confira a nota na íntegra abaixo).

Leia nota da Companhia de Processamento de Dados do Estado de São Paulo (Prodesp) sobre ataque cibernético

“A respeito do ataque cibernético que está sendo divulgado pela imprensa, nesta sexta-feira, dia 12 de maio, informamos que estamos monitorando a situação no que se refere ao ambiente de processamento dos sistemas do Governo do Estado de São Paulo sob nossa responsabilidade.

Alguns órgãos, como o Tribunal de Justiça e o Ministério Público, desligaram preventivamente seus servidores e estações de trabalho. Os demais serviços do Governo do Estado de São Paulo que utilizam sistemas processados pela Prodesp, como o Poupatempo, estão funcionando normalmente.

A Prodesp orienta os órgãos do Estado a ficar atentos a eventuais ataques e que sigam as recomendações de fornecedores de software e de empresas de segurança da informação para correção das possíveis vulnerabilidades que estão propiciando o ataque, mediante, por exemplo, a atualização de antivírus nas estações de trabalho.”

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*