Com apenas um médico, UPA em Americana restringe atendimentos e prejudica pacientes


Falta de profissionais faz unidade responsável por atender bairros mais populosos direcionar pacientes ao hospital. Prefeitura admite problema, mas prevê normalização entre 20 e 30 dias. Falta de médicos prejudica pacientes que buscam atendimento em UPA de Americana
A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) que atende aos moradores da região do Zanaga, em Americana (SP), limitou os serviços aos casos de urgência e emergência após ficar com apenas um médico disponível para este tipo de demanda. Com isso, pacientes são prejudicados e precisam recorrer ao Hospital Municipal. A Prefeitura admite dificuldades para remanejar profissionais.
O operador de máquinas Adelcio Gonçalves Vieira explica que precisou superar um “jogo de empurra” entre a UPA e o hospital, até conseguir auxílio médico para o sogro, de 78 anos. A busca começou na quinta-feira (6) e foi encerrada nesta sexta-feira. “Eles direcionam para vir buscar atendimento, você chega e a pessoa fala que não tem, manda você de volta”, explica.
A dona de casa Maria Aparecida Carneiro também relata situação semelhante, após ir até a UPA. “É a segunda vez na semana que não tem médico, e eles me encaminharam para o Hospital Municipal […] Até chegar lá, até ser atendida, até voltar…”, lamenta sobre as dificuldades.
O açougueiro Cleibosn Araújo Reis conta que não busca mais por consultas na UPA. “É bem precária a situação ali. A gente chega, eles falam só ‘urgência e emergência’ e nunca atendem.”
Paciente espera por atendimento na UPA de Americana
Reprodução / EPTV
O que será feito?
A UPA do Zanaga atende aos bairros mais populosos da cidade e os problemas provocados por falta de profissionais já ocorreram anteriormente. Em março do ano passado, a unidade chegou a suspender as consultas por 24 horas, e a normalização do serviço só ocorreu no mês posterior diante do déficit gerado pela ausência de funcionários que estão em férias ou licenciados.
Por meio de assessoria, a Prefeitura informou que, além dos médicos ausentes por um dos motivos, há profissionais afastados por causa das eleições. Além disso, destacou que uma ambulância está disponível para transferir pacientes ao Hospital Municipal, para garantir os atendimentos. A expectativa é de que a situação seja normalizada entre 20 e 30 dias.
Veja mais notícias da região no G1 Campinas.

%d blogueiros gostam disto: