Com salário de R$ 6 mil, eleição para Conselho Tutelar teve alta de 58% nos candidatos em Campinas

Disputa por uma das 25 vagas na cidade foi acirrada. Eleitos terão direito a mandato de 4 anos e remuneração de R$ 6.088,25. Com salário mensal de R$ 6.088,25 durante quatro anos de mandato, a disputa por uma das 25 vagas no Conselho Tutelar de Campinas (SP) foi mais acirrada neste ano. De acordo com Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), o número de candidatos cresceu 58%. Para o pleito de 2019, 246 pessoas enfrentaram o processo seletivo, contra 155 de 2012. No entanto, o total de pessoas aprovadas para disputar o pleito foi bem menor [veja gráfico abaixo].
Questionado se o valor do salário seria um dos motivos para explicar o maior interesse pela vaga, Carlos Renê Fernandes de Oliveira, membro da comissão eleitoral, disse que o fator “pode ter contribuído”, mas que o CMDCA não fez tal avaliação. A preocupação, segundo Oliveira, foi a de “melhorar o nível dos candidatos”. “É bom explicar que só podem participar do processo pessoas com capacidade técnica comprovada, com pelo menos dois anos de experiência com crianças e adolescentes nos últimos cinco anos, isso em entidades registradas. Além disso, o candidato passa por prova de conhecimentos gerais, específicos e avaliação psicológica até estar apto ao pleito”, explica Oliveira.
Para o membro da comissão eleitoral e também integrante da diretoria executiva do CMDCA, um dos fatores que explica o maior interesse passa pelo entendimento da importância da atuação do conselheiro tutelar, e o fato da eleição deste ano ter sido a primeira de âmbito nacional, o que atraiu, também, um maior número de pessoas para as votações. “Ficamos contentes com esse crescimento de eleitores. O processo fica mais transparente e ganha mais importância”, completa Oliveira.
A eleição
A lista com os 54 candidatos que disputaram o pleito e o número de votos respectivos foi publicada no Diário Oficial do Município em 8 de outubro. Ao todo, 13.897 eleitores foram às urnas este ano, número 106,7% maior do que o registrado em 2015, quando 6.721 pessoas votaram.
A diplomação dos 25 mais votados e dos 25 suplentes ocorre em 22 de outubro; até esta data, a lista final deverá ser divulgada. Os conselheiros são responsáveis por zelar pela proteção de crianças e adolescentes e o mandato tem duração de quatro anos. Em 10 de janeiro de 2020, os eleitos assumem os cargos. Os 25 mais votados
Luciana Luiz Alencar – 852
Quezia Feliciano N. Rodrigues – 711
Rosana Célia Rosa Soares – 674
Patricia Curi Gimeno – 630
Fábio Cunha Rizza de Oliveira – 569
Rosângela Felipe Barbosa Silva – 474
Ennio Flavio Soares Lima – 461
Cláudia Regina Gozzi – 444
Moisés Sesion da Costa – 437
Débora de Andrade Palermo – 392
Maria Stella Miranda Rodrigues – 392
Luiz André da Silva Neto – 379
Nara Cristina Zamian – 373
Laysa Suéllen Coêlho Campos – 362
Airton Pereira Junior – 359
Ariana Paula Freitas Orlando – 346
Eliana Maria Cantos – 343
Eulin Mark Arlindo – 334
Rafael Soares Pimentel Alberto – 302
Natan Cyrino Volpini – 289
Olivia Ornelas Luiz – 286
Analia Esthf Lauras – 251
Daiani Lais Felipe da Silva – 244
Silvana Cristina Bernardo – 231
Flávia Valéria Olivatti Ribeiro – 224
Veja mais notícias da região no G1 Campinas

%d blogueiros gostam disto: