Evento internacional na Unicamp aponta relação e riscos entre diabetes, doenças cardíacas e renais


É a primeira vez que encontro é realizado na América Latina. Professor da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas afirma que paciente com enfermidade em uma das áreas tem chance de ter doenças relacionadas às outras duas. Vista aérea do campus da Unicamp, em Campinas (SP), onde acontece o primeiro ‘At the limits’ da América Latina.
Reprodução/EPTV
Doenças renais, cardíacas e diabetes. As três enfermidades estão relacionadas e exigem trabalho conjunto de médicos para traçar diagnóstico preciso e tratamento adequado. As discussões sobre esse tema cruzam fronteiras, e este ano são o foco do encontro internacional “At the limits”, sediado pela primeira vez na América Latina, na Unicamp em Campinas (SP).
Nesta sexta-feira (12) e sábado (13), líderes nas áreas de cardiologia, nefrologia e diabetes de todo o mundo participam do evento. O “At the limits” é realizado há 21 anos e tem a colaboração das universidades de Harvard, College of London, Cape Town e da revista científica sobre medicina Lancet. São esperados 300 participantes nesta edição.
Professores e pesquisadores da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Unicamp atuam há alguns anos na organização do encontro, que trabalha para expor conhecimentos e os horizontes das pesquisas nas áreas, com objetivo de estimular a troca de experiências entre médicos e pesquisadores. “Quando tem um problema em um desses órgãos, acaba tendo problemas nos outros também. E é absolutamente necessário que todos sejam tratados ao mesmo tempo. É necessário que o cardiologista, o endocrinologista e o nefrologista trabalhem em conjunto para que isso possa dar um grande benefício ao diagnóstico, ao entendimento e ao tratamento do nosso paciente”, explica Otávio Rizzi Coelho, um dos professores da Unicamp envolvidos.
Evento da Unicamp aborda cardiologia, nefrologia e diabetes com profissionais internacionais em Campinas.
Bianca Rosa/EPTV
Coelho afirma que o diabetes leva a problemas microvasculares e macrovasculares, que afetam desde visão, rins e nervos periféricos (neuropatia periférica) e podem causar até infarto e acidente vascular cerebral (AVC). “É fácil a gente imaginar que o paciente que tem diabetes precisa muito dessas três especialidades”, completa o médico.
O evento apresenta ainda o rumo das novas pesquisas, o que está em estudo para ser feito no futuro.
Veja mais notícias da região no G1 Campinas

%d blogueiros gostam disto: