Fenômenos atmosféricos criam a ilusão de que existem quatro sóis

Parélio é um fenômeno que pode dar a sensação de que existem mais sóis no céu

Parélio é um fenômeno que pode dar a sensação de que existem mais sóis no céu Wikimedia Commons

Um vídeo que está circulando pela internet mostra curiosos fenômenos atmosférico simultâneos na Suécia. Uma pessoa conseguiu registrar o que aparentava ser quatro sóis no céu. Apesar de soar algo impossível, as imagens são verdadeiras e existem explicações científicas. 

Segundo o professor de Meteorologia da USP, Mario Festa, o vídeo é o registro de um parélio, de um arco tangente e de halos.

“Existe apenas um Sol no céu. O que as pessoas conseguem observar na verdade são manchas brilhantes resultado da refração e da reflexão da luz em cristais de gelo”, explica o professor.

Esses fenômenos não são raros de acontecer e podem surgir ao mesmo tempo no céu. Segundo Festa, a principal condição para que ocorram é a presença de nuvens Cirrostratus, que são formadas por pequenos cristais de gelo.

Parélio

A palavra “parélio” tem origem grega e significa “falso Sol”. É esse o fenômeno responsável pela a imagem de um Sol a direita e outro a esquerda. 

“As manchas brilhantes têm a mesma distância do Sol e não surgem dos dois lados obrigatoriamente. Dependendo da disposição dos cristais de gelo na atmosfera, pode surgir apenas de um lado”, explica o professor.

arco tangente

Além dos dois sois laterais, o vídeo da Suécia também registra uma terceira mancha logo acima do Sol. Trata-se de um fenômeno chamado de arco tangente, que tem o formato de uma asa de gaivota brilhante.

Halo

Os halos são círculos brilhante que surgem ao redor do Sol ou da Lua. Sua cor pode variar do branco ao laranja e também depende da passagem da luz pelos cristais de gelo para surgir no céu. Por isso, podem ajudar nas previsões meteorológicas.

“Os halos estão associados com a chegada de frentes frias. Se for possível visualizar esses circulos, é provável que em um ou dois dias a temperatura caia”, afirma Festa.

Como ver?

O professor afirma que todos esses fenômenos podem ser presenciados em qualquer horário do dia e em qualquer local, inclusive no Brasil. As nuvens Cirrostratus podem ser formadas até mesmo no verão, mas são mais frequentes em países mais frios.

“As pessoas precisam ter o hábito de observar o céu. Esses fenômenos não acontecem sempre, mas também não são difíceis de serem observados”, diz o meteorologista.

Para evitar riscos à saúde, Festa orienta usar óculos de sol ou usar as mãos e até as folhas de uma árvore para observar o céu e não olhar diretamente para o Sol.

Assista ao vídeo do céu na Suécia:

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: