Fósseis são salvos do meio das cinzas do Museu Nacional

Item do acervo recuperado das cinzas por curadora do Museu Nacional

Item do acervo recuperado das cinzas por curadora do Museu Nacional Reprodução/Reuters

O fogo consumiu o acervo, as pesquisas e o prédio do Museu Nacional, mas uma equipe de funcionários ainda conseguiu identificar o que resistiu ao calor e às chamas. Os bombeiros acompanham essas buscas para a retirada de alguns itens entre escombros e cinzas.

Leia também: Fóssil humano mais antigo do Brasil era guardado no Museu Nacional

A curadora do Museu Nacional Maria Elizabeth Zucolo conseguiu entrar no Museu Nacional para resgatar fósseis.

“Eles me deixaram entrar, porque eu posso reconhecer os itens. Eu sei onde ele estão e posso tentar recuperar alguns. Eles voltaram das cinzas com uma fênix”, disse Zucolo à agência Reuters

Funcionários acompanham bombeiros para tentar identificar o que resistiu ao incêndio

Funcionários acompanham bombeiros para tentar identificar o que resistiu ao incêndio Reprodução/Reuters

O Museu Nacional da Quinta da Boa Vista era ligado à Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e foi fundado em 1818 por D. João VI. Em junho deste ano, completou 200 anos desde a fundação.

Leia também: “Não havia sistema capaz de conter incêndio no museu”, diz pesquisador

O raro acervo científico contava com o maior dinossauro já montado no Brasil e com o fóssil de Luzia, que é a mulher mais antiga das américas.

O museu foi instalado no antigo Palácio Imperial brasileiro. O local foi utilizado em importantes momentos da história como na assinatura da independência do país.

Leia também: Conheça as peças do acervo perdidas no incêndio do Museu Nacional 

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: