Anúncios

Grupo protesta contra corte de repasse feito pela Prefeitura ao Hospital Celso Pierro

Ato ao lado do Hospital Celso Pierro, em Campinas (Foto: Vinicius Pinto )Ato ao lado do Hospital Celso Pierro, em Campinas (Foto: Vinicius Pinto )

Ato ao lado do Hospital Celso Pierro, em Campinas (Foto: Vinicius Pinto )

Um grupo de estudantes e funcionários do Hospital Celso Pierro, da PUC-Campinas, protestou na tarde desta terça-feira (10) contra a diminuição de R$ 11 milhões para R$ 9 milhões no repasse mensal feito pela Prefeitura para a unidade médica, desde setembro. O anúncio foi feito pelo governo municipal em agosto, com a justificativa de reflexos provocados pela crise econômica.

Durante o ato, os integrantes leram uma moção de repúdio e realizaram um abraço simbólico no hospital. A organização estima que 800 participaram e diz que não foram registrados incidentes.

“A nossa manifestação é primariamente sobre corte de verbas, mas se opõe de forma geral aos ataques à saúde na federação. Há um processo de desmonte do SUS [Sistema Único de Saúde], que é um patrimônio da população”, falou o estudante de medicina Vinicius Pinto. Segundo ele, também aderiram ao protesto professores, usuários e integrantes do Conselho Municipal de Saúde.

A assessoria do hospital informou que funcionários do setor administrativo acompanham o ato, mas não houve paralisação das atividades e os serviços ocorrem normalmente no Celso Pierro. O hospital não vai se manifestar sobre o protesto.

A Prefeitura de Campinas destaca que a redução no repasse à PUC-Campinas foi acompanhado da diminuição no número de procedimentos que o Celso Pierro realiza.

“A Secretaria de Saúde esclarece que os pagamentos feitos à PUC são referentes a procedimentos. Portanto, o que ocorreu no convênio entre a Pasta e o Hospital Celso Pierro foi uma revisão no volume de serviços prestados e não de valores. Atualmente, o convênio com a PUC tem um teto de R$ 9,1 milhões e a entidade recebe apenas pelos procedimentos realizados. Até o início do segundo semestre, o teto era de R$ 11,2 milhões, mas esse valor nunca foi atingido pela instituição”, informa o órgão, em nota.

A Prefeitura destaca ainda que os serviços que deixaram de ser prestados pela PUC foram absorvidos pela rede municipal de saúde. “Portanto, não houve prejuízo para a população”, diz a nota. A secretaria de Saúde informa que as “mudanças no convênio foram discutidas com a PUC entre fevereiro e agosto e só foram aplicadas a partir de setembro.”

Prefeitura destaca que serviços prestados pelo Celso Pierro serão absorvidos pela rede municipal (Foto: Reprodução/EPTV)Prefeitura destaca que serviços prestados pelo Celso Pierro serão absorvidos pela rede municipal (Foto: Reprodução/EPTV)

Prefeitura destaca que serviços prestados pelo Celso Pierro serão absorvidos pela rede municipal (Foto: Reprodução/EPTV)

À época do anúncio, a unidade médica alegou que cirurgias e atendimentos serão prejudicados com a diminuição. A unidade tem 12 leitos contratados pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Naquele mês, a Secretaria de Saúde defendeu que a responsabilidade do município é com o atendimento básico e que a própria rede municipal vai incorporar os serviços prestados pelo Celso Pierro, incluindo exames laboratoriais e de imagem. O poder público ressaltou ainda que o governo arca com pelo menos 70% dos custos com o setor e os repasses do SUS têm diminuído.

Anúncios

Deixe uma resposta