Homem que matou ex-mulher com mais de 20 facadas é preso no interior de SP


Edvaldo da Silva era procurado pela polícia desde o fim de semana pelo feminicídio de Elizangela Pereira de Almeida em Itupeva. Ele foi reconhecido por uma pessoa que acionou a Guarda. Elizangela foi morta com mais de 20 facadas em Itupeva; ex-marido Edvaldo é o suspeito do crime
Reprodução/Facebook
O homem procurado por matar a ex-companheira com mais de 20 facadas em Itupeva (SP) foi preso na manhã desta terça-feira (8). Edvaldo da Silva foi capturado pela Guarda Civil de Indaiatuba e levado para a delegacia de Itupeva, onde o caso é investigado.
Depois do feminicídio, cometido na noite de sábado (5), a Polícia Civil pediu e a Justiça decretou a prisão temporária de Edvaldo por 30 dias.
Edvaldo foi preso na Rodovia Santos Dumont (SP-75) onde, segundo a Guarda, seguia para Salto (SP). Uma pessoa o reconheceu e acionou a corporação.
Edvaldo da Silva foi preso pelo feminicídio da ex-companheira em Itupeva
Divulgação/Guarda Civil de Indaiatuba
Segundo a polícia, o crime aconteceu na casa de Edvaldo. Ainda de acordo com a polícia, Elizangela foi até a casa do ex-companheiro, no Jardim Santa Helena, para saber dos filhos. No entanto, as crianças estavam na igreja, momento em que ela foi atacada.
A irmã do suspeito contou que ouviu um barulho e acionou a polícia. Ela contou ao delegado Luciano Carneiro de Paiva que viu o irmão indo para uma área de mata. Policiais foram até a casa dele e precisaram arrombar a porta. Assim que entraram, encontraram Elizangela esfaqueada. Ela foi socorrida e levada ao hospital municipal de Itupeva, mas chegou sem vida. A equipe médica relatou à polícia que a mulher levou, pelo menos, 23 facadas.
A vítima deixou seis filhos, sendo quatro deles com o suspeito. Depois do crime, Edvaldo apagou todas as fotos dele das redes sociais. Mulher foi morta com mais de 20 facadas em Itupeva
Arquivo Pessoal
Não aceitava o fim do relacionamento
Elizangela já tinha registrado dois boletins de ocorrência contra o ex-marido: um por ameaça e agressões e outro por ter a casa incendiada. Uma medida protetiva chegou a ser concedida pela Justiça, mas ela solicitou a retirada do pedido. Uma das filhas de Elizangela Pereira de Almeida, de 34 anos, disse à TV TEM que o suspeito não aceitava o fim do relacionamento. “Ele era possessivo e não admitia o término do relacionamento. Quero justiça, só isso, porque a minha mãe eu já perdi”, diz Helen Cristina de Almeida. Filha de Elizangela afirma que suspeito não aceitava fim do relacionamento
Reprodução/TV TEM
Veja mais notícias da região no G1 Sorocaba e Jundiaí

%d blogueiros gostam disto: