COVID-19 NO BRASIL: COLAPSO EM SÃO PAULO E RECORDE DE MORTE NO PAÍS

O esperado aconteceu: o estado de São Paulo entra em colapso na Saúde.

Não há vagas em hospitais particulares e os públicos estão trabalhando acima de 100%.

O governo de São Paulo têm lutado bravamente desde o início da pandemia, mas isso nao evitou 679 mortes em 24hs.

Enquanto isso, demagogos irresponsáveis travam batalhas políticas, questionando as acertadas ações do governo estadual, pedindo, inclusive, a saída do governador.

O Brasil apresenta , em 24hs, 2798 mortes. Um trágico número que revela o péssimo trabalho do governo Bolsonaro na Saúde.

Se dependêssemos apenas das ações do governo federal, as mortes seriam muito maiores e o quadro irreversível.

São Paulo tem agido com recursos próprios, a bem dos paulistas e do povo brasileiro, já que a primeira vacina aplicada no Brasil é a produzida pelo Butantã, em São Paulo.

Que os cidadãos tenham consciência da IMPORTÂNCIA DA VIDA. A POLITICAGEM RASTEIRA SÓ LEVA ÀS MORTES QUE VIVENCIAMOS.

COLABOREM COM O ISOLAMENTO SOCIAL! FIQUEM EM CASA! O CONTRÁRIO, QUANDO NÃO HÁ EXTREMA NECESSIDADE, É UMA ATITUDE CRIMINOSA!

O governo federal deve agir com mais intensidade e eficácia, vacinando pessoas e compensando as perdas para trabalhadores e empreendedores.

NÃO HAVERÁ ECONOMIA SEM PESSOAS. INICIATIVAS CRIATIVAS PARA DESTINAR RECURSOS ÀS PESSOAS DEVEM SER ADOTADAS.

UM PACTO SOCIAL E ECONÔMICO PELA VIDA DEVE SER CAPTANEADO PELO GOVERNO FEDERAL, ENVOLVENDO INDÚSTRIA, COMÉRCIO, AGRICULTURA, SERVIÇO PÚBLICO E TRABALHADORES.

SEM VIDA NÃO HÁ ECONOMIA. SEM ECONOMIA NÃO HÁ PAÍS.

Aqui você já sabe: virou notícia, Brasil Comenta.

Share and Enjoy !

0Shares
0

Author: José Vieira

Jornalista/Articulista, bacharel em Direito(aprovado na OAB), servidor público, professor do Centro de Estudos e Ensino em Segurança Pública e Direitos Humanos - CESDH, pós graduado em Direito da Comunicação Digital, com MBA em Gestão Pública,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *