POLÍTICA BRASIL: BOLSONARO INGRESSA NO STF CONTRA MEDIDAS RESTRITIVAS

O presidente Jair Bolsonaro determinou o ingresso em juízo, no STF, do governo federal contra as medidas restritivas adotadas por vários estados da federação.

Bahia, Distrito Federal, e Rio Grande do Sul, foram alvo desta ação, e seus governadores protestaram com veemência.

Enquanto os estados lutam contra a propagação do vírus, o presidente Bolsonaro diz que as ações são ditatoriais e similares ao estado de sítio, que poderia ser adotado por ele, com a chancela do Legislativo.

Chegou a afirmar que os governadores querem matar a população, além de limitar o seu direito de ir e vir.

É um descalabro que merece total repúdio de toda a sociedade brasileira, ao menos da parcela consciente, que sabe da importância das medidas, em que pese o trauma para a economia.

Mais uma vez o presidente opta pelo confronto inócuo, quando o ideal seria capitanear o consenso e as ações contra a Covid-19.

Quanto a isso, ele já foi aconselhado desde o ano passado, mas não aceita a ideia.

Há quem diga que o presidente Bolsonaro deseja reafirmar sua tese de que o STF o impede de agir, caso não obtenha êxito em seu intento, novamente polemizando contra o tribunal.

É um péssimo momento para tentar afirmar suas ideias, negacionistas por excelência, deixando de lado a mórbida realidade que assola o país.

Que acelere a oferta de vacinas e de insumos para combater a pandemia, protegendo o povo.

Se tivesse feito isso desde o início, o quadro seria bem diferente.

O Brasil precisa de gestores responsáveis, conscientes e operosos quanto à realidade do país. Não de demagogia ou embate politico.

Aqui você já sabe: virou notícia, Brasil Comenta.

Share and Enjoy !

0Shares
0

Author: José Vieira

Jornalista/Articulista, bacharel em Direito(aprovado na OAB), servidor público, professor do Centro de Estudos e Ensino em Segurança Pública e Direitos Humanos - CESDH, pós graduado em Direito da Comunicação Digital, com MBA em Gestão Pública,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *