Irã diz que sanções dos EUA afetam diretamente seus cidadãos

Zarif criticou medidas dos EUA contra a população iraniana

Zarif criticou medidas dos EUA contra a população iraniana Mauri Ratilainen / EPA – EFE – 18.9.2019

O ministro das Relações Exteriores do Irã, Mohammad Javad Zarif, disse nesta quarta-feira (18) que os Estados Unidos estão atacando “deliberadamente” os cidadãos iranianos com a nova decisão de intensificar suas sanções.

Em uma mensagem no Twitter, Zarif ressaltou que o “terrorismo econômico”, como se refere às sanções americanas, é “ilegal e desumano”.

Leia também: Sauditas afirmam que 18 drones e 7 mísseis do Irã atingiram refinarias

“Detenha a guerra e o terror. Queremos segurança para todos”, acrescentou o chanceler, pouco após que o presidente americano, Donald Trump, informasse ter ordenado um “aumento substancial” das sanções contra o Irã.

Assim como Trump, o Departamento do Tesouro também não divulgou mais detalhes sobre as sanções adicionais, que aumentam as outras impostas ao Irã desde o ano passado, quando os EUA deixaram unilateralmente o acordo nuclear de 2015.

Essa decisão coincide com a ameaça de hoje do governo iraniano de dar uma resposta “arrasadora” a uma eventual ataque de Washington.

O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, chegou hoje à Arábia Saudita para coordenar a resposta de seu país aos ataques do último sábado contra petrolíferas sauditas, onde Washington responsabilizou o Irã, que por sua vez negou seu envolvimento.

A investigação ainda está em andamento, mas o porta-voz do Ministério da Defesa saudita, Turki al-Maliki, afirmou hoje que os ataques contra a Aramco foram efetuados com 18 drones e 7 mísseis de cruzeiro iranianos.

Ele garantiu que o ataque “foi inquestionavelmente apoiado pelo Irã”, embora tenha evitado responder a reiteradas perguntas sobre se o ataque veio da nação dos aiatolás.

Os ataques foram reivindicados pelos rebeldes houthis, apoiados pelo Irã, que frequentemente atingem o território saudita em resposta à intervenção militar da coalizão liderada por Riad no Iêmen.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: