Justiça determina prisão preventiva do deputado Luiz Durão, autuado por estupro

Foto: TV Vitória/Reprodução

Folha Vitória

Folha Vitória Folha Vitória

A Justiça determinou a prisão preventiva do deputado estadual Luiz Durão, por suspeita de estupro. De acordo com a Polícia Civil, a perícia no local onde o ato teria sido praticado e um laudo do Departamento Médico Legal (DML) comprovam que o parlamentar forçou uma relação sexual com uma jovem de 17 anos na última sexta-feira (04).

Em entrevista coletiva, o delegado José Darcy Arruda, chefe da Polícia Civil, explicou porque pediu a prisão preventiva do deputado. Assim que feito o flagrante, o delegado titular da Delegacia de Proteção à criança e ao adolescente, Lorenzo Pazolini, solicitou perícia do local do crime e exame de corpo de delito da vítima. “A cena do crime foi toda periciada e também requisitou exame de corpo de delito na vítima. O delegado entendeu que se tratava de crime de estupro e se convenceu e lacrou o auto de prisão em flagrante”, disse.

Sobre as denúncias que levaram Durão a ser preso em flagrante, Arruda afirmou que quando foi levada para o motel, a vítima pediu por ajuda, aos familiares através de um aplicativo de conversa. “A família se dirigiu ao local onde ela disse que estava e ficaram no aguardo de ver uma viatura passar. Passando a viatura, fizeram o sinal e passaram a informação. Os policiais, por força de lei, efetuaram a prisão e encaminharam todo o material e o conduzido ao delegado”, afirmou delegado.

Quando questionado sobre a versão apresentada pelo deputado, o delegado disse que não podia dar detalhes. “Esse crime segue em sigilo de Justiça, por força de Lei. Então não podemos trazer detalhes. Então não posso dizer qual foi o argumento usado pelo deputado”.

Por telefone, o advogado do deputado que explicou que Durão foi levado para o presídio de Viana, onde respondeu questionamentos para um juiz em oitiva. As respostas foram levadas para o Tribunal de Justiça do Estado, que decidiu por manter a prisão do político, que agora passa a ser preventiva.

O caso ocorreu pouco depois das 11 horas da manhã de sexta-feira, na Serra. Durante a abordagem, o deputado informou à polícia que havia parado no estabelecimento após sentir um desconforto intestinal, mas a adolescente negou a versão. Em depoimento, ela afirmou que a intenção do deputado era outra. Disse que, por medo da reação dele, praticou sexo com o parlamentar contra a própria vontade.

Os abusos teriam começado antes mesmo de os dois entrarem no motel. A adolescente conta que pegou carona com o deputado em Linhares, com destino à capital. Onde ela se encontraria com amigos. De acordo com o gerente do motel, a recepcionista que trabalhava no momento informou que a adolescente chegou a ajudar o deputado a escolher uma das suítes.

Luiz Durão permaneceu na delegacia por seis horas. Por volta das 19h30, ele foi levado, numa viatura descaracterizada, ao DML de Vitória, onde passou por exames de lesão corporal.

Durão foi prefeito de Linhares por dois mandatos. Foi também de deputado federal. Em 2010 foi eleito deputado estadual. Assumiu como suplente por 2 vezes nesta legislatura. Durão disputou o último pleito, mas não foi eleito. 

Na tarde deste domingo (06), a Secretaria Estadual de Segurança Pública (Sesp) enviou nota informando que o deputado continuará preso no Quartel do Comando-Geral do Corpo de Bombeiros, em cumprimento da prisão preventiva.

A nota informou também que, por se tratar de crime de cunho sexual, a legislação determina que ele deve ficar isolado de outros internos ou em área específica para quem responde por crimes do tipo. Como não seria possível garantir esse isolamento no quartel da PM, Durão foi levado de volta às instalações do Corpo de Bombeiros, em Vitória.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: