Luiz Gonzaga como você nunca viu!


Na cidade do ‘rei do baião’, história e natureza se unem para contar a vida e a obra de um dos maiores artistas da música popular brasileira. Morte de Luiz Gonzaga completou, em 2019, 30 anos e Terra da Gente faz uma homenagem Terra da Gente
No interior do Nordeste, uma cidade celebra o legado de um filho ilustre. Exu (PE) foi o lugar onde o “rei do baião” nasceu em 1912. E basta andar pela cidade para ver que Luiz Gonzaga vive na memória de cada um dos 31 mil moradores da cidade pernambucana, na divisa com o Ceará. Com muita música e relatos emocionantes, a equipe do Terra da Gente anda pelo município atrás das lembranças de Gonzagão e encontra desde um museu, com as maiores relíquias do rei do baião, até a casa onde ele viveu os últimos dias de vida. “Ele levou para o mundo tudo o que acontecia no Sertão. O mundo precisava saber o que acontecia aqui e ele usou a música pra isso”, afirma o sobrinho, o também cantor Joquinha Gonzaga. “Ele representou a vida do sertanejo e a natureza do Sertão em sua musicalidade”, reforça o biólogo e guia de observação de aves, Jefferson Bob. O “rei do baião” cantou as aflições, a esperança, a beleza e a dureza do sertão. Morreu aos 76 anos e está enterrado em Exu. Acauã é um falcão conhecido por “chamar a seca” do sertão com seu canto
Terra da Gente
As aves de Gonzagão Muitas músicas de Luiz Gonzaga tinham as aves como inspiração. Numa expedição especial pela Caatinga, os aventureiros do TG foram em busca das espécies cantadas por ele. Não só a famosa pomba branca, mas também outras aves como a rolinha-fogo-apagou, o galo-da-campina, o assum-preto, o acauã e o famoso sabiá, que ganhou uma das músicas mais famosas de Luiz Gonzaga.

%d blogueiros gostam disto: