Mário Gatti completa uma semana com cirurgias eletivas canceladas para atender crianças na UTI

Hospital precisou remanejar funcionários de outras alas da unidade para atender a demanda de internação. Exames e procedimentos pequenos também foram suspensos.

As cirurgias eletivas do Hospital Municipal Dr. Mário Gatti, em Campinas (SP), estão sendo canceladas há uma semana, desde quando a unidade médica precisou suspender os procedimentos para atender crianças com um vírus respiratório. De acordo com a administração, os dez leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTIs) pediátrica estão lotados e outros dez foram adaptados para o restante dos pacientes que necessitam de internação.

De acordo com o presidente da unidade, Marcos Pimenta, o hospital precisou cancelar, desde a última segunda-feira (24), 12 cirurgias eletivas por dia. Além disso, exames de endoscopia e colonoscopia, além do centro cirúrgico ambulatorial – para procedimentos pequenos – também precisaram ser suspensos. A justificativa é que os funcionários destes setores foram remanejados para atender as crianças internadas na UTI.

“Crianças em estado grave exigem mais cuidados. Então nós precisamos remanejar os funcionários dessas alas do hospital para atender as 20 crianças que estão na UTI. Nós fizemos uma capacitação para esses funcionários, porque o tratamento de adultos é diferente. Apesar do cancelamento, garantimos que todas as cirurgias serão remarcadas, mas infelizmente ainda não temos uma data confirmada”, disse Pimenta.

O presidente do hospital ainda afirmou que, das 20 crianças que estão em regime de UTI no Mário Gatti, 15 estão em situação mais grave e precisaram ser entubadas. Além delas, outras 14 permanecem em observação na enfermaria e 10 continuam na retaguarda do pronto-socorro da unidade médica.

“O vírus veio mais forte dessa vez. Antigamente, a criança fazia uma inalação e recebia alta, mas agora ela tem que ficar internada. Estamos em contato com a Secretaria Municipal de Saúde diariamente para monitorar essa situação complexa que estamos passando e esperamos que, com o tratamento correto que estamos dando, essa fase acabe rapidamente”, afirmou.

Os outros hospitais públicos do município também estão com as UTIs pediátricas lotadas. De acordo com o secretário de Saúde, Cármino de Souza, Campinas planeja abrir cinco novos leitos no Ouro Verde. Os dez espaços da unidade estão ocupados, assim como os do Hospital de Clínicas (HC) da Unicamp e o Celso Pierro.

Os sintomas do Vírus Sincicial Respiratório (VSR) são principalmente falta de ar e febre alta, além de coriza e chiado no peito. Segundo o presidente do Mário Gatti, o que se destaca é a dificuldade para respirar.

Nesta época do ano – entre março e junho – ocorre a chamada sazonalidade da doença respiratória infantil, explica Pimenta.

A Prefeitura informou que enviou orientações para que todas as unidades de saúde da cidade expliquem aos pais como evitar o contágio dos filhos. Por exemplo, manter a higiene de mãos e evitar locais com aglomeração de pessoas. A transmissão desta doença é por via aérea.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*