MTST protesta por moradias em São Bernardo do Campo

Integrantes do MTST fazem protesto em São Bernardo do Campo

Integrantes do MTST fazem protesto em São Bernardo do Campo

Manifestantes do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto) realizam um protesto na tarde quarta-terça-feira (13) nas ruas do Centro de São Bernardo do Campo. Eles ocupam, desde o começo do mês, um terreno privado na cidade. Eles seguem para a prefeitura da cidade. A Guarda Civil Metropolitana montou uma barreira no entorno do prédio. A Justiça já determinou a reintegração da posse.

Na quarta-feira (6), o juiz Fernando de Oliveira Domingues Ladeira, da 7ª Vara Cível da cidade, autorizou a reintegração de posse da área e deu prazo de 72 horas, neste sábado (9), para o local ser desocupado. Até o momento, a ocupação, que começou com cerca de 500 pessoas, hoje permanece no local com cerca de 6 mil pessoas.

Segundo a decisão, está autorizado o uso de força como a presença da Polícia Militar e até arrombamentos, caso seja necessário, para que os integrantes do MTST deixem o terreno. No texto, o juiz diz: “proceda à desocupação coercitiva e a reintegração de posse.”

O terreno é da MZM Incorporação Ltda., que entrou com pedido de reintegração de posse no sábado (2), no seguinte que o espaço foi ocupado. Em nota, a MZM disse que “neste momento o que temos a informar é que a MZM está resguardada pela Justiça e aguarda que a reintegração seja cumprida pelas autoridades.”

Para Maria das Dores Cerqueira, coordenadora do MTST, a área ocupada e está abandonada há mais de 40 anos e não cumpria a sua função social. “Hoje cumpre através das famílias que estão aqui alojadas já que o déficit habitacional de São Bernardo do Campo é de 92 mil famílias sem moradia.”

A reportagem do G1 procurou a prefeitura de São Bernardo do Campo para detalhar o programa habitacional da cidade e sobre a ocupação, mas a administração municipal não retornou até a publicação desta reportagem.

MTST ocupa terreno em São Bernardo do Campo e Justiça autoriza reintegração de posse

MTST ocupa terreno em São Bernardo do Campo e Justiça autoriza reintegração de posse

Problemas na vizinhança

Moradores, que ficam atrás do terreno da ocupação, relatam problemas provocados pela presença do MTST no bairro. “Tem desde consumo de drogas ao ar livre, barulho, bagunça, lixo, desordem, além da invasão de uma terra que sempre foi cuidada pelos proprietários”, disse um dos vizinhios, que prefere não se identificar por medo de represália.

Outro morador, que também não quer se identificar pelo mesmo motivo, disse que alguns integrantes do MTST foram até a portaria do condomínio de forma agressiva, que parte dos ocupantes do terreno jogam objetos para dentro do prédio.

O síndico de um dos condomínios de apartamentos, Marcelo Mendes Vicente, disse que vai se reunir com advogados e moradores da região nesta quarta-feira para reforçar a cobrança das autoridades locais para solucionar o problema. “Não tenho dúvida que existam pessoas que realmente precisem de moradia, mas que são usadas como massa de manobra. Vemos muitos deles chegando de carros caríssimos, por exemplo.”

Vicente afirmou que recebeu relatos de que a ocupação tem pessoas de outras cidades como Diadema, São Paulo. “Durante a noite a ocupação fica vazia, as barracas permanecem lá, mas os ocupantes voltam para suas casas. A situação é gravíssima. Os moradores têm medo de, em uma ação de reintegração, eles possam querer invadir os condomínios.”

Ele disse que precisou reforçar a segurança do condomínio para evitar maiores problemas. “O poder público não está preocupado com os moradores do outro lado da ocupação, que somos nós, o Ministério Público e o Conselho Tutelar estão apenas preocupados com os integrantes do MTST.”

Prefeito na redes sociais

Em um vídeo divulgado pelo prefeito Orlando Morando nas redes sociais, ele afirma que vai seguir o programa habitacional da cidade, mas não detalhou o número de moradias disponíveis, o déficit de moradias da cidade e nem o cronograma de obras.

“Nós temos uma política de habitação em São Bernardo [do Campo] em andamento, nós temos uma fila de pessoas que aguardam suas moradias, pessoas que estão cadastradas e que foram retiradas de área de risco. Nós vamos seguir essa lista, essa política habitacional, não é invadindo páreas públicas ou privadas que nós vamos construir uma cidade melhor e dar habitação para quem precisa”, disse o prefeito.

Ainda no vídeo, Morando disse que “aquela área é particular, razão pela qual a prefeitura não pode fazer uma intervenção direta. Hoje [terça-feira (12)], tive uma reunião com a Polícia Militar, Polícia Civil, oficial de Justiça. Estamos acompanhando e reafirmei que a prefeitura dará todo suporte necessário para a que a ordem judicial seja cumprida e o terreno seja devolvido aos seus proprietários.”

Manifestantes do MTST protestam em São Bernardo do Campo (Foto: Reprodução/TV Globo)Manifestantes do MTST protestam em São Bernardo do Campo (Foto: Reprodução/TV Globo)

Manifestantes do MTST protestam em São Bernardo do Campo (Foto: Reprodução/TV Globo)

Manifestantes do MTST caminham em São Bernardo do Campo (Foto: Reprodução/TV Globo)Manifestantes do MTST caminham em São Bernardo do Campo (Foto: Reprodução/TV Globo)

Manifestantes do MTST caminham em São Bernardo do Campo (Foto: Reprodução/TV Globo)

Desempregados lotam ocupação do MTST em terreno de São Bernardo do Campo

Desempregados lotam ocupação do MTST em terreno de São Bernardo do Campo

Deixe uma resposta