Obras do BRT em Campinas interditam novo trecho no Jardim Rossin e Nova Esperança


Segundo EMDEC, obras ainda não têm previsão de término. Veja as linhas de ônibus afetadas. Obra do Corredor BRT na Avenida John Boyd Dunlop, em Campinas avançam para bairros Jardim Rossin e Nova Esperança. Luciano Calafiori/G1
As obras do BRT (Ônibus de Trânsito Rápido) Campo Grande na Avenida Boyd Dunlop, em Campinas (SP) avançaram para os bairros Jardim Rossin e Nova Esperança na terça-feira (17).
A regiões do Jardim Florence e Rossin recebem trabalhos de drenagem e construção da Estação Rossin e o Jardim Nova Esperança ganha novas pistas de rolamento e circulação reconfigurada. As operações visam beneficiar os usuários do transporte público e motoristas que trafegam pelo local. Segundo a Emdec (Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas) as obras ainda não têm previsão de término. Jardim Rossin
O que muda
Nas regiões do Jardim Florence e Rossin, os trabalhos são estendidos para um novo trecho, desde o viaduto férreo até a entrada do Jardim Rossin, após o Córrego do Piçarrão. Para isso, a marginal da avenida fica interditada no sentido centro-bairro e o tráfego é desviado para a pista expressa, que passa a ter sentido duplo de circulação. O que mantém
Os pontos de ônibus do sistema de transporte público coletivo deste trecho serão mantidos, assim como o retorno próximo à entrada do Jardim Rossin e o acesso aos bairros Princesa d’Oeste e Rossin. Jardim Esperança
O que muda
Os trabalhos desta região se estendem entre o Córrego do Piçarrão, no Jardim Rossin, e a Rua Benedito Franco. As obras avançam para as duas pistas no sentido bairro e o tráfego de veículos é desviado para o pavimento de concreto construído na pista sentido centro, que provisoriamente tem duplo sentido de circulação. Os pontos de ônibus do trecho afetado serão remanejados para a mesma altura dos atuais. Onze linhas de ônibus circulam na região:
123
205
210
211
212
213
214
220
221
228
229
A velocidade máxima permitida neste trecho foi reduzida de 60 para 40 km/h, desde a primeira etapa de obras. O que mantém
No trecho entre as vias Benedito Franco e Luiz Raphael Lot, marginal da John Boyd, a circulação segue a mesma adotada pela Emdec no início de junho. Agentes da mobilidade urbana circulam pela região para monitorar e auxiliar a fluidez do trânsito. Qualquer dúvida pode ser esclarecida pelo telefone 118, no “Fale Conosco Emdec”. BRT Campo Grande O BRT Campo Grande terá 17,9 km de extensão. Ele sairá do Terminal Mercado, na região central, passando pelo leito desativado do antigo VLT, Avenida John Boyd Dunlop e Terminal Campo Grande, até chegar no Terminal Itajaí.
A previsão é que toda construção, de 36,6 km de corredores, leve três anos para ser concluída e a entrega seja feita em 2020, segundo a Secretaria de Transportes.
Veja mais notícias da região no G1 Campinas

%d blogueiros gostam disto: