Palestinos acusam EUA por corte em fundos de agência da ONU

Ministro Riyad al-Maliki acusou Estados Unidos de ataque à lei internacional

Ministro Riyad al-Maliki acusou Estados Unidos de ataque à lei internacional Reuters

O ministro de Relações Exteriores palestino, Riyad al-Maliki, disse nesta terça-feira (11) que a decisão do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de suspender o financiamento da Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina (UNRWA) foi um ataque à lei internacional.

A decisão dos EUA obrigou a UNRWA a buscar ajuda de países europeus e do Golfo Pérsico para cobrir um rombo de 200 milhões de dólares, e aumentou as tensões entre o governo Trump e a liderança palestina.

Os laços com Washington se deterioraram desde que Trump decidiu reconhecer Jerusalém como a capital de Israel no ano passado, revertendo uma política norte-americana de décadas e levando nações árabes a alertarem que a medida pode atiçar crises na região. A comunidade internacional, com exceções que incluíram Israel, criticou a decisão.

Leia mais: Oito perguntas para entender o conflito entre israelenses e palestinos

“O governo dos EUA começou a atacar os direitos do povo palestino e a lei internacional”, disse Maliki em uma reunião da Liga Árabe no Cairo convocada para debater a questão.

As conversas de paz entre Israel e os palestinos com mediação internacional estão travadas desde 2014, e os assentamentos israelenses nos territórios ocupados vêm se expandindo constantemente.

Líderes palestinos dizem que sua situação política se agravou desde que Trump tomou posse em 2017, já que Washington vem adotando diretrizes que favorecem o governo do primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, que é um aliado próximo dos EUA.

Acompanhe o noticiário internacional no R7

No Brasil, refugiados apostam na culinária para recomeçar a vida:

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: