Polêmica ou não? | Quem gosta de 69? Jovens falam de posição sexual

Polêmica entre quatro paredes: quem gosta de 69? A famigerada posição sexual gera debates efervescentes dignos dos que antecedem um Fla-Flu ou de uma conversa à mesa do bar. E já que preferência sexual é que nem inclinação política e religião, cada um tem a sua, fomos atrás de pessoas que contaram ao UOL sua opinião sobre o tal 69. Aos fatos!

Leia mais

“Eu não gosto. Se fico em cima, tenho medo de sufocar o boy. Se tô em baixo, medo de me sufocar, rs. Já de ladinho não é tão ruim. Mas aí vem a coisa da concentração. É um ou outro, porque fica tipo uma competição. Se você se concentra em ganhar, você perde porque esqueceu de focar em você”, Brenda, 24 anos, Rio de Janeiro

“Eu curto bastante! Mas entendo que as mulheres ficam meio desconfortáveis. Então acho que mesmo no 69 o foco tem que ser nela. É legal que dá pra ir um sentindo o ritmo do outro”, Julio, 32 anos, Porto Alegre

O 69 é uma construção da indústria pornô. Quando você está fazendo sexo oral em alguém, tem que ser uma coisa confortável, e não visualmente bonita. Se você parar pra pensar, vale mais a pena cada um chupar uma hora, não vale? Outra coisa, a mulher goza muito mais com a mente do que com o corpo, então é muito mais interessante que você faça algo se concentrando do que apenas movimentos”, Sheila*, 25 anos, Santo André

“Acho que o nariz no traseiro é o pior. De resto, acho bacana. Nada a reclamar, Pedro, 26 anos, Vinhedo

“Eu amo! Mas é uma coisa que não rola sempre, só quando a gente está empolgado e, normalmente, bêbado. Eu acho que tem que ter intimidade, não é um trem que você sai fazendo no primeiro dia de transa. É uma experiência legal, mas não é pra toda vez. É pra inovar, se divertir. Você recebe e dá prazer ao mesmo tempo, olha que coisa boa!, Géssica, 24 anos, Belo Horizonte

Quem não gosta é porque nunca fez, Kevin, 27 anos, São Paulo

Mike Ross e Rachel Zane, de

Imagem: Reprodução/Tumblr
“Eu odeio 69. A visão é horrorosa, não dá certo. Ódio eterno”, Marcela, 24 anos, Belo Horizonte

“Nada contra, nem a favor. Acho superestimado. Mas se me pedirem eu topo, por que não?”, Maurício, 29 anos, Rio de Janeiro

“Não sou nada fã. Acho que não funciona. Tem homem que não sabe fazer oral direito nem quando tá focado naquilo, imagina quando tem alguém chupando ele ao mesmo tempo, não vai pra frente!”, Melissa, 28 anos, Curitiba

“Quem falou que não gosta? Eu acho ótimo. Talvez as mulheres não consigam se concentrar em duas coisas ao mesmo tempo e fiquem incomodadas. Os caras conseguem. Eu juro”, Victor, 28 anos, São Paulo

“É legal, mas trabalhoso. Precisa de preparo físico, Thaís, 23 anos, São Paulo

“Acho que 69 é coisa de adolescente apressado que quer tudo ao mesmo tempo. Ninguém se concentra nem se dedica direito nessa posição. Bem melhor um de cada vez mostrar seu talento no oral, Daniela, 31 anos, São Paulo

Saindo à francesa

Você chegou nos finalmente com alguém que não tem tanta intimidade e, na hora H, a pessoa sugere o 69. Se você gosta, vá em frente. Mas e se não é fã da posição como desviar da saia justa sem frustrar o par? Para Priscila Junqueira, psicóloga, sexóloga e autora do e-book “Sua Sexualidade”, a chave é o diálogo. “A melhor coisa é você tentar mudar aquela posição para outra que você saiba que a pessoa goste, sem precisar necessariamente falar. E num outro momento sentar, conversar e explicar. Seja verdadeiro, converse bastante, fale sobre suas posições preferidas antes”, orienta ela. 

E para todos os casais, a dica: “Eu sempre digo que as pessoas fazem sexo e não conversam sobre sexo, então o bom e velho diálogo é fundamental. Se conheça, aprenda o que você e fale pro outro sobre isso. Quais são suas posições preferidas, quais aquelas que você topa mais ou menos, as que você vai fazer pra agradar e que não vai dar pra ser sempre, e assim entrem num acordo”. Anotado?

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*