Servidores dos Correios suspendem greve e retomam atendimentos e serviços na região de Campinas


Sindicato da categoria confirmou nesta quarta-feira a decisão de suspender a paralisação até o julgamento do dissídio, que ocorre em 2 de outubro. Funcionários suspendem greve dos Correios em todo o país.
Reprodução/EPTV
Os servidores dos Correios voltam ao trabalho nesta quarta-feira (18) na região de Campinas (SP) e em todo o Brasil após uma semana de greve da categoria por melhores condições de trabalho, entre outras reivindicações. Após ser decretada em 10 de setembro, parte dos funcionários não estava oferecendo os serviços nas agências, principalmente os carteiros, desde o dia 11. Centros de distribuição e triagem também foram afetados. De acordo com o sindicato da categoria, a decisão de suspender a greve foi anunciada aos servidores às 22h desta terça (17), e os serviços serão normalizados nesta quarta. “A gente aceitou o acordo do Tribunal Superior do Trabalho (TST), que propôs a suspensão da greve até o dia 2 de outubro, quando vai ocorrer o julgamento do dissídio”, explica Fábio Xavier, diretor de comunicação do Sindicato dos Trabalhadores em Correios de Campinas e Região (Sintectcas).
Em nota, os Correios afirmam que a suspensão da paralisação foi a condição para que a empresa aceitasse a proposta do TST de manter as cláusulas do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) 2018/2019 até a data do julgamento do dissídio coletivo. “A empresa espera chegar a um entendimento razoável sobre o ACT 2019/2020, com a confiança de que o Tribunal reconhece a importância de, neste momento, retomar o equilíbrio financeiro de uma empresa tão estratégica quanto os Correios”, afirmou.
Greve começou em 10 de setembro e Denny Cesare/Código 19
Normalização de entregas
Medidas para que o fluxo postal e as entregas sejam normalizados “o mais rápido possível” já foram implementadas pela estatal, incluindo o deslocamento de empregados administrativos para auxiliar na operação e a realização de mutirões nos fins de semana. “A rede de atendimento dos Correios está aberta em todo o país e os serviços, inclusive SEDEX e PAC, continuam sendo postados e entregues em todos os municípios”, informou a empresa, que classificou a paralisação dos últimos dias de “parcial”.
Julgamento do dissídio
No dia 2, o sindicato que representa os servidores espera a reedição do acordo coletivo de trabalho, para que diretos reivindicados não sejam removidos. Entre eles, manutenção dos tickets nas férias, janela de trabalho em 44 horas por semana e manutenção das horas extras a 70%.
Também lutam pela manutenção do plano de saúde para pais e mães de servidores, desde que tenham renda familiar de 1,2 salários mínimos, e se mantêm contra a privatização dos Correios.
Funcionários dos Correios durante greve em Pedreira (SP)
Arquivo pessoal
Veja mais notícias da região no G1 Campinas

%d blogueiros gostam disto: