Suspeito de matar jovem que defendeu irmã trans em SP é indiciado por homicídio

O suspeito de matar um jovem de 24 anos durante uma briga no Jardim São Luís, na Zona Sul de São Paulo, foi ouvido pela polícia nesta segunda-feira (13). Luis Carlos Mariano, de 18 anos, era procurado pela morte de Petherson Roberto dos Santos, na quarta-feira (8).

Luiz estava na rua de casa, no Jardim São Luis, quando foi detido pela Polícia Militar. “Ele nos viu, tentou correr, tentou se evadir, conseguimos efetuar a abordagem. Conversamos com ele e conduzimos para o DP para ele ser qualificado e indicado pelo crime cometido”, afirmou o sargento Rafael Penna.

Luiz Carlos prestou depoimento na delegacia do bairro, foi formalmente indiciado por homicídio, mas a Justiça negou o pedido de prisão temporária.

“Nós pedimos a temporária embasados na violência do crime que, em princípio, podemos até falar num preterdoloso. Quer dizer, quebrando aquela intenção de só lesionar. Ele tinha uma intenção de matar mesmo”, explicou o delegado do caso, Luís Roberto Faria Hellmeister.

Luiz Carlos Mariano foi indicado pela porte de Petherson (Foto: Reprodução/TV Globo)Luiz Carlos Mariano foi indicado pela porte de Petherson (Foto: Reprodução/TV Globo)

Luiz Carlos Mariano foi indicado pela porte de Petherson (Foto: Reprodução/TV Globo)

Parentes do jovem negaram que ele tivesse intenção de matar. O irmão, Wellington Danilo da Silva Mariano, afirmou que Luiz revidou uma agressão e que a vítima bateu a cabeça no chão. “Se fosse a intenção dele matar, ele tinha descido com revólver, faca, ou alguma coisa assim. Não teve nada de preconceito.”

Perguntado, o irmão disse que Luiz não procurou a polícia para não ficar detido. “Se ele vem na hora, ele ia ficar preso. Arrumamos um advogado e ele se apresentou com advogado.”

Aída Marta Silva Mariana, mãe de Luiz, lamentou a situação e confirmou que o filho não tinha a intenção de matar Petherson.

“É triste, é dolorido porque eu sei que para a mãe desse rapaz é dolorido. Assim como tá sendo dolorido para mim ver meu filho ser difamado por um acidente. Eu quero pedir desculpas ao familiar desse rapaz, porque nós somos pessoas honestas, meu filho é honesto e lamento, lamento muito, porque a gente não queria que acontecesse isso.”

Luiz Carlos Mariano prestou depoimento (Foto: Reprodução/TV Globo)Luiz Carlos Mariano prestou depoimento (Foto: Reprodução/TV Globo)

Luiz Carlos Mariano prestou depoimento (Foto: Reprodução/TV Globo)

O crime ocorreu em uma praça enquanto Lorena Vicente, irmã da vítima, estava sentada em um banco usando o wi-fi público. Após um suspeito passar de bicicleta provocando Lorena, o irmão Petherson Roberto dos Santos, de 24 anos, foi tirar satisfação. A vítima recebeu golpes na cabeça e morreu na praça. O suspeito fugiu de bicicleta.

“Ele ameaçou jogar a bicicleta em cima de mim e o meu irmão foi cobrar. Falar para ele respeitar, né. Só que aí ele veio, já começaram a discutir e entraram em luta corporal”, conta Lorena Vicente.

Um rapaz viu a briga e reconheceu Luiz: “o Luiz Carlos desceu da bicicleta e começou a agredir. Infelizmente aconteceu isso”.

Vítima tentava defender a irmã transexual (Foto: Reprodução/TV Globo)Vítima tentava defender a irmã transexual (Foto: Reprodução/TV Globo)

Vítima tentava defender a irmã transexual (Foto: Reprodução/TV Globo)

O delegado Luís Roberto Hellmeister disse que o crime pode ter sido motivado por preconceito. “Ele é procurado como autor, tem testemunhas oculares, o amigo dele que estava junto com ele tentou evitar o crime, mas não conseguiu”, disse. “Eu acredito que a motivação, num primeiro momento, seria de preconceito pela opção sexual do irmão da vítima”.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*