Três presos por aplicar golpes do cartão de crédito no sul do estado

Foto: Divulgação

Folha Vitória

Folha Vitória Folha Vitória

Na manhã desta quinta-feira (19), policiais civis da Delegacia de Rio Novo do Sul, realizaram uma operação em Cachoeiro de Itapemirim, que resultou na prisão de parte de uma associação criminosa que praticava estelionatos em toda a região sul. A investigação contou com apoio da Delegacia Especializada de Investigações Criminais (DEIC) de Cachoeiro.

A polícia identificou até o momento, 12 vítimas da associação criminosa, sendo que cinco de Cachoeiro de Itapemirim, duas de Rio Novo do Sul, duas Vargem Alta, uma vítima de Iconha e duas vítimas de Vitória. A estimativa é que os prejuízos das vítimas ultrapassaram a quantia de R$ 100 mil.

Os suspeitos João Paulo Gonçalves Sabtos, Cleiber Costalonga e Luiz Cláudio Vigna foram autuados em flagrante pelos crimes de associação criminosa, receptação e posse de munição de arma de fogo.

Vítimas

De acordo com o delegado Rafael Amaral Ferreira, os crimes ocorriam, da seguinte forma: a vítima recebia uma ligação no telefone residencial, onde o interlocutor informava ser funcionário de uma seguradora do banco, indagando sobre uma possível compra que a vítima teria efetuado no cartão de crédito.

A vítima informava que não tinha realizado nenhuma compra, então o interlocutor solicitava que a vítima ligasse para o banco, através do número 0800, que se encontra atrás do cartão crédito, para que fosse estornado o valor da suposta compra.

Ainda segundo o delegado, a vítima desligava o telefone e efetuava a ligação, acreditando estar ligando para o banco, no entanto, o interlocutor não desligava o telefone, o que travava o telefone da vítima, a impedindo de ligar realmente para a central do banco.

Em continuidade, a vítima conversava com outro membro da associação criminosa, pensando ser atendente do banco, e fornecia todos os dados para os estelionatários.

Golpe

Os criminosos convenciam as vítimas entregarem os cartões de crédito para um motoboy, pois os cartões precisavam passar por uma perícia, tanto do banco, quanto da polícia civil.

Durante a prisão em flagrante dos suspeitos foram apreendidas 19 máquinas de cartão de crédito, três munições, documentos de outras pessoas, diversos comprovantes de compras realizadas pelos cartões de créditos das vítimas, uma das motos utilizadas pela quadrilha para recolher os cartões de créditos nas casas das vítimas e uma carta manuscrita por uma das vítimas, endereçada a um suposto inspetor da polícia que estaria investigando o grupo, juntamente com a central do banco.

“Vale ressaltar que, as investigações continuam para apurar a identificação e prisão dos demais membros da associação criminosa, e localização de mais vítimas dos estelionatos”, completa o delegado.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: