Trump tenta impedir publicação de livro sobre bastidores da Casa Branca

Advogado de Trump ameaça processar autor por invasão de privacidade e difamação caso obra seja publicada. Em resposta, editora adianta lançamento. Livro retrata Casa Branca do republicano como um lugar caótico.O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, tenta impedir o lançamento de um livro sobre seu primeiro ano do governo. Seu advogado pediu formalmente nesta quinta-feira (04/01) o cancelamento imediato da publicação e da divulgação da obra que retrata a Casa Branca do republicano como um lugar caótico e o apresenta como imaturo.

O advogado Charles Harder pediu ao autor de Fire and Fury: Inside the Trump White House (Fogo e Fúria: Por dentro da Casa Branca de Trump), o jornalista Michael Wolff, e à editora Henry Holt que desistam da publicação.

Leia também:Trump rompeu de vez com direita republicana

“Estamos investigando vários comentários falsos e sem fundamento feitos por Wolff sobre Trump”, afirmou Harder. Na mensagem enviada ao escritor, o advogado alerta que avalia a possibilidade de entrar com ações contra o livro. Entre as alegações citadas estão que há invasão de privacidade e difamações contra o presidente e sua família.

Harder também disse que é possível provar que a intenção de Wolff é maliciosa. “O livro admite na introdução que contém declarações não verdadeiras e não cita nenhuma fonte para muitas de suas informações danosas sobre Trump”, destaca.

Em resposta às ameaças, a editora Henry Holt adiantou o lançamento do livro, que seria publicado somente em 9 de janeiro, para esta sexta-feira.

Declarações polêmicas

A publicação ganhou a atenção da mídia e enfureceu o presidente, após trechos terem sido divulgados na quarta-feira. Em uma das passagens, o livro afirma que o objetivo de Trump não era vencer as eleições presidenciais, mas sim potencializar suas marcas.

A obra, baseada em 200 entrevistas, entre elas com o presidente americano e pessoas ligadas ao republicano no governo, inclui declarações polêmicas feitas pelo ex-estrategista-chefe da Casa Branca, Steve Bannon. Numa delas, Bannon relata o encontro do filho mais velho de Trump com uma advogada ligada ao Kremlin durante a campanha eleitoral como “antipatriótico” e “um ato de traição”.

Em outro momento do livro, o ex-estrategista disse que o candidato republicano não esperava ganhar as eleições presidenciais de 2016, em que concorreu contra a democrata Hillary Clinton. Trump e família teriam ficado chocados e assustados com o resultado.

Os advogados de Trump enviaram também uma carta a Bannon com a ordem de que ele pare de dar declarações depreciativas sobre Trump e sua família. Bannon teria sido acusado de quebrar um compromisso de confidencialidade assinado quando começou a trabalhar na campanha do republicano.

Grande homem

Depois da divulgação de trechos do livro, Bannon assumiu uma postura mais branda. Em entrevista à emissora de rádio do site ultranacionalista de notícias Breitbart na quarta-feira, o ex-estrategista afirmou que Trump é “um grande homem” e que “nunca nada se colocará” entre ele e o presidente.

A divulgação de trechos do livro, no entanto, levou Trump a fazer duras críticas contra Bannon. O presidente chegou a afirmar que o ex-estrategista perdeu o juízo após ter sido demitido do governo. Bannon deixou seu cargo na Casa Branca em agosto, quando retornou ao Breitbart e assumiu várias posições em desacordo com a administração de Trump.

Em entrevista coletiva no Salão Oval, Trump foi questionado nesta quinta-feira se se considerava que Bannon tinha lhe traído. “Não sei. Ontem à noite ele me chamou de ‘um grande homem’, portanto obviamente mudou de atitude bastante rápido”, acrescentou. Logo em seguida, o presidente ressaltou que já não tem mais contato com Bannon. “Não falo com ele”, assegurou.

CN/efe/afp/rtr


A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App

Deutsche Welle A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas.
compartilhe
comente

  • comentários

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: