Vestibular Unicamp 2020: com História entre mais concorridos, coordenador atribui interesse ao tempo de crise


Comvest registrou 1.178 candidatos para 32 vagas e coordenador vê, no momento atual, uma explicação para maior “curiosidade dos jovens”. Vista aérea da Unicamp, em Campinas
Antoninho Perri/Ascom/Unicamp
Com 1.178 candidatos na disputa por 32 vagas, o curso de História voltou a figurar entre os 10 mais concorridos no vestibular 2020 da Unicamp. Para José Alves de Freitas Neto, coordenador executivo da comissão responsável pelo exame, a Comvest, uma das explicações para o maior interesse na carreira tem relação com os “tempos de crise”.
Vestibular tem 3,4 mil inscrições a menos; índice de alunos da rede pública aumenta “As noções de crise fazem as pessoas se perguntarem mais sobre as origens, sobre os rumos em que estamos e consequentemente a procura pelo curso de História ajuda a explicar a curiosidade desses jovens em relação à história que fazemos e ao tempo presente em que estamos. São muitos os desafios, e consequentemente isso pode ter aumentado o interesse dos estudantes pelo curso.”
Presente na lista do top-10 no vestibular 2018, História deixou de figurar na relação dos cursos mais concorridos no exame do ano anterior, referente ao ingresso em 2019. Para 2020, o aumento entre os inscritos foi de 8,9%. “[O curso de História] emerge como um saber necessário e fundamental para compreender o mundo em que vivemos e estimular novas questões e respostas. O diálogo entre presente e passado torna-se ainda mais relevante”, diz Neto.
Outros fatores
O coordenador do vestibular destaca que além do cenário de crise, há outros fatores que ajudam a explicar o maior interesse de estudantes pela área, em um ano que a universidade registrou queda de 3,4 mil candidatos em seu processo seletivo. “Os estudantes que optam por História, em geral, ouvem seus professores e a produção intelectual e acadêmica do departamento da Unicamp sempre foi de alto nível e de grande contribuição no debate nacional e internacional em temas variados: escravidão, gênero, patrimônio, religião, arte, cultura visual, dentre outros temas. Nesse sentido, há um reconhecimento como espaço de pesquisa e ensino bastante atuante”, defende.
Final da Olimpíada Nacional em História na Unicamp reúne 1,2 mil
A realização da Olimpíada Nacional em História também é apontada como fator que estimula os jovens e ajuda na divulgação da área, além da “presença de docentes no debate nacional, seja pelas associações de especialistas, seja no espaço das redes sociais e mídias.”
Na contramão
Enquanto a procura por História registrou aumento no vestibular 2020, a Comvest observa com atenção a redução de inscritos em outras áreas do conhecimento, principalmente as de licenciatura. “Faltam professores dessas áreas e há pouca gente querendo ser professor no Brasil atualmente”, opina.
De acordo com a organização, o total de inscritos para o curso noturno de licenciatura integrada de Química e Física caiu 50,2% em um ano – de 227 para 113 candidatos. Em Pedagogia, a queda foi de 13,7% (de 320 para 276 inscritos).
Veja mais notícias da região no G1 Campinas

%d blogueiros gostam disto: