Vídeo com notícia falsa viraliza no WhatsApp e causa linchamento de inocente na Índia

Reprodução/BBC

Em plena luz do dia, uma criança sozinha na rua é agarrada por um motociclista e, de repente, levada embora, para desespero dos vizinhos.

Essa sequência de acontecimentos aparece em um vídeo, que foi amplamente compartilhado na Índia e espalhou pânico.

Mas, na verdade, se trata de mais um caso de notícias falsas – ou fake news, como o termo ficou popularmente conhecido.

india-whatsapp-linchamento-fake news

india-whatsapp-linchamento-fake news Reprodução/BBC

O vídeo original tinha cunho informativo e havia sido gravado por autoridades do Paquistão para alertar sobre a segurança de crianças nas ruas de Karachi.

Na segunda parte do vídeo, o ‘sequestrador’ pode ser visto devolvendo a criança e segurando um cartaz em que se lê: ‘Basta apenas um momento para uma criança ser sequestrada nas ruas de Karachi’.

Segundo as autoridades indianas, essa parte foi retirada do filme compartilhado.

TVs locais também contribuíram para semear o pânico, ao alertar moradores de que 5 mil sequestradores de crianças haviam entrado pelo sul da Índia.

“Depois de assistir a esses vídeos e às notícias, ficamos preocupados com a segurança de nossas crianças. Não queremos deixá-las sozinhas nas ruas”, diz uma moradora.

O resultado do vídeo falso não poderia ser mais trágico.

Reprodução/BBC

Kaalu, de 26 anos, estava em Bangalore procurando emprego.

Alguns moradores acreditaram que ele era um dos sequestradores de crianças.

Reprodução/BBC

Kaalu teve as mãos e pernas amarradas, foi agredido e arrastado pelas ruas.

Ele morreu a caminho do hospital.

Reprodução/BBC

A polícia de Bangalore está usando as redes sociais para acabar com os boatos.

Patrulhas também paticipam dessa campanha.

“Antes de espalhar esse tipo de informação, que não é verificada, peço à imprensa que confirme sua veracidade e, então, a divulgue”, diz T. Suneel Kumar, comissário de polícia de Bangalore.

O episódio é um alerta sobre o perigo das notícias falsas.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: