SAÚDE

PMA alerta população para maior conscientização no combate ao Aedes aegypti

Em meio à pandemia do novo coronavírus (covid-19), outro inimigo não invisível e bastante conhecido dos brasileiros, o mosquito Aedes aegypti – transmissor da dengue, zika e chikungunya – continua em cena e ainda figurando entre os personagens ...
Author:
Posted: September 24, 2020, 6:00 pm

Genes podem gerar resposta imune à Covid-19 na América do Sul

Para desenvolver diagnósticos e vacinas que detectem e previnam a covid-19, cientistas pesquisam a presença dos genes HLA, que expõem o vírus para as células de defesa do corpo, em populações de todo o mundo. As informações são do site da UOL.
Author:
Posted: September 24, 2020, 3:28 pm

Estudo encontra gene responsável por resposta imune à Covid-19 na América do Sul

Uma pesquisa com participaçao da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da USP encontrou os primeiros registros dos genes HLA na América do Sul. O gene é importante por expor o novo coronavírus (Sars-CoV-2) às células de defesa do corpo, ...
Author:
Posted: September 24, 2020, 2:20 pm

Dourados terá três campanhas de vacinação em outubro

Campanhas têm como objetivos reduzir o risco de reintrodução de diversas doenças no país, como Poliomielite, Sarampo, Rubéola, Tétano entre outras. Dia 17 de outubro, um sábado, será o dia “D” de mobilização nacional – Divulgação. O Programa ...
Author:
Posted: September 24, 2020, 2:15 pm

LIRAa aponta alta na infestação do mosquito adulto da dengue

O quinto Levantamento de Índice Rápido para Aedes aegypti (LIRAa) de 2020, realizado pelo Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) mostra uma alta no índice de infestação da forma adulta do mosquito e coloca a cidade em alto risco para epidemias.
Author:
Posted: September 24, 2020, 2:10 pm

Falta de regulamentação específica sobre cultivo de maconha para fins medicinais leva à ...

... sementes de Cannabis Sativa para o tratamento médico de sua filha, é considerada por especialistas consultadas pelo Estadão como 'necessária'.
Author:
Posted: September 24, 2020, 6:11 pm

Apesar de novas restrições, Roland Garros espera receber 5 mil torcedores por dia

Autoridades disseram, entretanto, que vão reduzir ainda mais o número de torcedores nos jogos. Redação, Estadão Conteúdo. 24 de setembro de ...
Author:
Posted: September 24, 2020, 5:15 pm

Escolas estaduais ouvem pais e fazem prevenção para receber alunos em retomada gradual

Cerca de cinco mil escolas da rede estadual de São Paulo fazem os últimos ajustes para a volta às aulas presenciais, após seis meses fechadas ...
Author:
Posted: September 24, 2020, 5:03 pm

Bolsonaro sanciona projeto de lei que altera cobrança do ISS

As mudanças afetam operadoras de planos de saúde, de atendimento veterinário ... Ficaram de fora tanto o ISS (municipal) como o ICMS (estadual).
Author:
Posted: September 24, 2020, 3:45 pm

Alta nos casos do coronavírus em muitos estados americanos acende alerta para surto de outono

... do outono e do clima mais frio - tradicionalmente preferido pelos vírus - em todo o território americano, de acordo com dados de saúde pública.
Author:
Posted: September 24, 2020, 2:48 pm

Doe órgãos. A vida precisa continuar

Saúde lança campanha para sensibilizar a população quanto à importância da doação de órgãos. Transplantes são retomados sob protocolos rigorosos para garantir a segurança dos pacientes

O Ministério da Saúde divulgou, nesta quinta-feira (24), o balanço sobre a doação de órgãos, tecidos e células e transplantes realizados no país no primeiro semestre de 2020. Na ocasião também foi lançada a Campanha Nacional de Incentivo à Doação, que este ano traz o slogan “Doe órgãos. A vida precisa continuar”. A campanha tem como objetivo sensibilizar a população quanto a importância da doação para salvar a vida de muitas pessoas que aguardam por um transplante.

Neste momento de pandemia causado pelo coronavírus, no mundo inteiro e no Brasil têm sido observadas queda nas doações de órgãos e nas realizações de transplantes, tornando-se um desafio para os países, tanto pelos esforços para manutenção das doações, quanto para garantir a segurança das equipes de saúde e dos pacientes. A campanha se tornou ainda mais necessária, tendo em vista o fato de que o Brasil contabilizava um número crescente de transplantes nos últimos anos.

“O Ministério da Saúde, junto aos estados e municípios, está empenhado em encontrar soluções para superar os obstáculos impostos ao programa de transplante na pandemia. A retomada dos procedimentos será subsidiada por protocolos rigorosos para garantir a segurança de todos”, disse o ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello.

De janeiro a julho de 2019 foram realizados 15.827 transplantes. No mesmo período em 2020, o número de procedimentos foi de 9.952. Alguns centros de transplantes, no entanto, conseguiram manter suas unidades ativas e livres da Covid-19 e hospitais de grande porte de transplantes, como o Hospital do Rim, em São Paulo, receberam pacientes de centros menores para realização do procedimento com maior segurança. No país, até 31 de julho, existiam 46.181 pacientes aguardando por transplante.

Importante ressaltar que as orientações para segurança de todos, fornecidas pelo Ministério da Saúde, permitiram a continuidade de vários programas e não há relatos, até o momento, de pacientes infectados durante a realização do transplante.

AÇÕES PARA RETOMADA

O Sistema Nacional de Transplantes (SNT) incentivou as equipes de transplantes a acompanhar seus pacientes por meio de consultas em plataforma digital. A medida visa minimizar a circulação de pacientes portadores de doenças crônicas graves em unidades hospitalares. Houve um cuidado extra das equipes de transplante na seleção do paciente, buscando identificar possíveis portadores de Covid-19 assintomáticos ou outras situações clínicas que pudessem aumentar o risco da cirurgia nesse momento. Com a instituição deste novo protocolo, pacientes assintomáticos que testaram positivo na chegada ao hospital não puderam realizar o procedimento, o que obrigou as equipes a selecionar outro paciente para o transplante.

Outra ação do Ministério da Saúde é o acompanhamento semanal dos dados junto às Centrais Estaduais de Transplantes. A situação, no momento, parece ter se estabilizado. Centros importantes que estavam inativos estão retomando as atividades, e retomamos a captação de córnea em doador falecido por parada cardíaca.

QUEDA NOS PROCEDIMENTOS

A queda dos transplantes começou a ser observada na segunda quinzena de março, quando a pandemia começou no Brasil e seguiu os casos de notificação da Covid-19. Os estados mais afetados, com sobrecarga no sistema de saúde, foram obrigados a reduzir ou, algumas vezes, paralisar o programa de transplante. Contudo, à medida que a situação ficou controlada, o programa foi retomado.

O balanço no período de janeiro a julho deste ano apontou que aspectos como, logística de transporte de equipes, órgãos e tecidos entre estados foi fortemente impactada pela redução no número de voos comerciais. Os transplantes de medula óssea, pelo alto impacto imunológico, tiveram redução em 25,82%, passando de 2.130 em 2019 para 1.580, em 2020. Os transplantes de coração caíram 25,10%, passando de 231, em 2019, para 173 neste ano, impactado pela dificuldade de logística, redução no número de doadores e estrutura de UTI livre de Covid-19.

[table]

Ranking dos Transplantes mais Realizados

Janeiro a Julho

Brasil

2019

2020

Rim

3.569

2.759

Fígado

1.282

1.169

Coração

231

173

Pâncreas Rim

74

55

Pulmão

57

35

Pâncreas

21

17

Intestino Isolado

2

1

Multivisceral

1

0

Total de Órgãos

5.237

4.209

Córnea

8.460

4.163

Medula Óssea

2.130

1.580

Total Geral

15.827

9.952

Fontes dos Dados: Sistema Informatizado do Ministério da Saúde/ CETs - Centrais Estaduais de Transplantes/ INCA/ TabWinDatasus

[/table]

As doações de órgãos também tiveram queda de 8,4% em relação aos dados de 2019. De janeiro a julho de 2020, o país notificou 5.922 potenciais doadores de órgãos. No mesmo período em 2019 foram 6.466 doadores.

O Ministério da Saúde tem observado tendência ao aumento dos consentimentos familiares para a doação de órgãos no primeiro semestre de 2020, atribuindo o crescimento ao trabalho voltado a divulgação de informações. “O aumento na taxa de autorização, chegando este ano a uma média de 68,2%, é fruto de uma sociedade mais consciente do seu papel e da importância do gesto de doar. Por isso, é importante que os parentes e pessoas próximas saibam da vontade do seu familiar em ser doador”, ressalta Pazuello.

ESTRUTURA

O Brasil possui o maior programa público de transplante de órgãos, tecidos e células do mundo, que é garantido a toda a população por meio do SUS, responsável pelo financiamento de cerca de 95% dos transplantes no país. O Sistema Nacional de Transplantes (SNT) é formado pelas 27 Centrais Estaduais de Transplantes; 13 Câmaras Técnicas Nacionais; 594 estabelecimentos de saúde; 1.420 equipes de transplantes; 574 Comissões Intra-hospitalares de Doações e Transplantes; e 68 Organizações de Procura de Órgãos e Tecidos (OPOs).

O Ministério da Saúde repassa recursos para estados e municípios apoiando a qualificação dos profissionais de saúde envolvidos nos processos de doação e transplante. O orçamento federal para essa área mais que dobrou em 11 anos (2008-2019), passando de R$ R$ 458,4 milhões para R$ R$ 1,089 bilhão. Os recursos transferidos para o Plano Nacional de Implantação de Organizações de Procura de Órgãos e Tecidos (OPO), no período de 2011 a setembro 2020, foram de R$ 148,1 milhões. O repasse para o custeio do Plano Nacional de Apoio às Centrais de Notificação, Captação e Distribuição de Órgãos (PNA-CNCDO), no período de 2014 a setembro 2020, foram de R$ 67,5 milhões.

LOGÍSTICA

O Ministério da Saúde permanece com a parceria firmada com as companhias aéreas comerciais e com a Força Aérea Brasileira (FAB), por meio de Acordo de Cooperação Técnica, para o apoio à logística de transporte aéreo. Juntas, as companhias aéreas e a FAB transportaram 608 órgãos no primeiro semestre de 2020, sendo 497 por voos comerciais e 111 pela FAB. Já no primeiro semestre do ano passado foram transportados 696 órgãos, sendo 626 por voos comerciais e 70 pela FAB.  Essas parcerias são fundamentais para o sucesso do programa que exige uma logística ágil e confiável para viabilizar a captação e o transplante para as diferentes partes do país.

CAMPANHA

Todos os anos, no Dia Nacional de Incentivo à Doação de Órgãos, em 27 de setembro, o Ministério da Saúde lança uma nova campanha de conscientização sobre a importância da doação de órgãos. As peças mostram a relação entre a espera da volta da vida ao normal que vivemos antes da pandemia, com a espera de alguém que aguarda pela doação de um órgão ou tecido para tornar possível fazer as coisas mais simples, como respirar, ver e simplesmente viver. A campanha também destaca o fator fundamental para tornar possível uma doação de órgãos e tecidos: a autorização da família, estimulando que possíveis doadores conversem com seus familiares e manifestem esse desejo.

A campanha conta com apoio de diversos veículos de comunicação, com cessão de espaços publicitários gratuitos. A veiculação terá início dia 24 de setembro e segue até 23 de outubro, conta com filme, spot de rádio, peças de mídia exterior, peças de internet e redes sociais.

Acesse a apresentação

Mais informações em www.saude.gov.br/doeorgaos

 

Por Lídia Maia

Ministério da Saúde
(61) 3315-3174/3693

Author:
Posted: September 24, 2020, 6:27 pm

Curitiba recebe ações educativas de prevenção ao suicídio e à automutilação

Atividades promovidas pelo Ministério da Saúde e parceiros estimulam a formação de multiplicadores para valorização da vida através do conhecimento

Curitiba (PR) foi a quarta cidade a receber as “Ações de Educação em Saúde em Defesa da Vida”, iniciativa do Ministério da Saúde e parceiros para criar multiplicadores pelo Brasil. Neste primeiro ciclo, as atividades são voltadas para prevenção ao suicídio e à automutilação a partir do Setembro Amarelo. As atividades já foram apresentadas em Brasília (DF), Fortaleza (CE) e Belo Horizonte (BH).

O objetivo é promover ações educativas e itinerantes de forma on-line, qualificando o conhecimento de profissionais da saúde, conselheiros tutelares, professores, líderes sociais, religiosos e de entidades beneficentes. O público-alvo são adolescentes entre 11 e 18 anos e multiplicadores. 

Realizado na sede da Companhia de Tecnologia da Informação e Comunicação do Paraná (Celepar), o evento contou com a presença da secretária de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde do Ministério da Saúde (SGTES/MS), Mayra Pinheiro, do secretário de Atenção Primária à Saúde do Ministério da Saúde (SAPS/MS), Raphael Câmara, e de Ângela Gandra Martins, secretária Nacional da Família no Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH). 

“O Ministério da Saúde, junto com as ações de educação, está formando multiplicadores para que a gente possa falar com propriedade sobre esses temas, e também está transformando sua política de saúde mental. Durante esse mês, já foram liberados mais 50 ambulatórios de saúde mental para que a gente acabe também com os estigmas”, destacou a secretária Mayra Pinheiro durante o evento.

ATIVIDADES

As “Ações de Educação em Saúde em Defesa da Vida” promovem cursos a distância, encontros, palestras e elaboração de materiais para ampliar o atendimento em saúde, a formação nas escolas e nas comunidades. O site prevencaoevida.com.br abriga os conteúdos educativos. Através da página, são feitas as inscrições para as atividades de forma gratuita. O portal também abriga cartilhas e videoaulas.

“A gente quer que os brasileiros, de todas as classes sociais, de todas as faixas etárias, e que possam manifestar sinais de doença mental, encontrem nos postos de saúde o acolhimento e o tratamento assim como eles procuram o pediatra, o clínico e o obstetra”, ressaltou Mayra Pinheiro sobre qualificação do atendimento no Sistema Único de Saúde (SUS).

O evento, transmitido ao vivo pela página do Facebook do Ministério da Saúde, também contou com a palestra “O papel da sociedade na prevenção do suicídio e da automutilação”, proferida pelo presidente da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), Antônio Geraldo.

PRÓXIMOS TEMAS

O Ministério da Saúde agora se prepara para abordar mais três assuntos de forma inédita dentro das “Ações de Educação em Saúde em Defesa da Vida”: gravidez na adolescência, uso de drogas lícitas e ilícitas e ética da vida (relacionada à prevenção da violência contra crianças, mulheres e idosos).

Durante o lançamento em Curitiba, foram apontados dados e ações de prevenção da gravidez na adolescência em palestra com o secretário Raphael Câmara. Assim como na temática de prevenção ao suicídio e da automutilação, os outros assuntos também vão promover atividades educativas e itinerantes.

Por Marina Pagno

Ministério da Saúde

(61) 3315-3580 / 2351 / 2745

Author:
Posted: September 24, 2020, 6:19 pm

Ministério da Saúde prorrogou habilitação de mais de 6 mil leitos de UTI

Os leitos de UTI são exclusivos para tratamento de paciente com Covid-19 solicitados pelos estados e municípios; Governo Federal investiu R$ 305,6 milhões com a prorrogação de habilitação

O Ministério da Saúde prorrogou a habilitação 6.377 leitos de UTI exclusivos para tratamento de paciente com Covid-19 solicitados pelos estados e municípios, com investimento de R$ 305,6 milhões. Desde o início da pandemia, já foram habilitados 13.836 leitos de UTI. Desse total, 247 são de UTI pediátrica. O valor investido pelo Governo Federal é de R$ 1,98 bilhão, pago em parcela única, para que estados e municípios façam o custeio dessas unidades pelos próximos 90 dias - ou enquanto houver necessidade em decorrência da pandemia.

Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (23), pelo secretário de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos em Saúde (SCTIE), Hélio Angotti Neto, e o secretário da Vigilância em Saúde (SVS), Arnaldo Medeiros, durante coletiva de imprensa de balanço das ações destinadas ao enfrentamento da Covid-19 no Brasil.

Para os leitos de UTI destinados exclusivamente para o tratamento de pacientes com a Covid-19, o Ministério da Saúde tem investido o dobro do valor habitual destinado a habilitação de leitos de UTI. Saindo de R$ 800 para R$ 1.600 reais em parcela única. Os gestores dos estados e municípios recebem o valor antes mesmo da ocupação do leito.

Apesar de estados e municípios terem autonomia para criar e habilitar os leitos necessários, o Ministério da Saúde, em decorrência do atual cenário de emergência, tem apoiado irrestritamente as secretarias estaduais e municipais e investido em ações, serviços e infraestrutura para o enfrentamento da doença. O objetivo é cuidar da saúde de todos e salvar vidas.

Além disso, o Ministério da Saúde já destinou aos 26 estados e o Distrito Federal R$ 86,1 bilhões, sendo que desse total foram R$ 60,1 bilhões para serviços de rotina do SUS, e outros R$ 26 bilhões para a Covid-19. A pasta da Saúde vem apoiando os estados e municípios na compra e entrega de equipamentos, habilitação de leitos de UTI e enviando recursos para o enfrentamento da Covid-19.

As medidas fortalecem o Sistema Único de Saúde (SUS) e leva atendimento para a população em todo o país. Os recursos são repassados a partir da publicação das portarias no Diário Oficial da União.

VENTILADORES PULMONARES

Como parte do apoio estratégico do Governo do Federal no atendimento aos estados, o Brasil conta agora com o reforço de 11.106 ventiladores pulmonares entregues pelo Ministério da Saúde para auxílio no atendimento aos pacientes com Covid-19. Os equipamentos foram entregues em todos os estados e no Distrito Federal.

A distribuição para os municípios e unidades de saúde é de responsabilidade de cada estado, conforme planejamento local. As entregas levam em conta a capacidade instalada da rede de assistência em saúde pública - principalmente nos locais onde a transmissão está se dando em maior velocidade. 

EPI

O Ministério da Saúde atendeu a demanda 276,6 milhões de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) para garantir a proteção dos profissionais de saúde que atuam na linha de frente do enfrentamento à Covid-19 em todo o país. Entre os itens estão máscaras, aventais, óculos, protetores faciais, toucas, sapatilhas, luvas e álcool. As entregas representam mais um, entre diversos esforços do Governo do Brasil, para auxiliar e reforçar as redes de saúde dos estados e municípios no combate a pandemia da Covid-19.

Ao todo, o Ministério da Saúde já entregou aos estados 564,3 mil litros de álcool; 3,1 milhões de aventais; 36,9 milhões de luvas; 20,3 milhões de máscaras N95; 196 milhões de máscaras cirúrgicas; 2,3 milhões de óculos e protetores faciais, e 17,2 milhões de toucas e sapatilhas. Os materiais foram entregues para as secretarias estaduais de Saúde, responsáveis por definir quais os serviços vão recebê-los - a partir de um planejamento local.

A compra de EPI é de responsabilidade dos estados e municípios. No entanto, devido à escassez mundial desses materiais, no atual cenário de emergência em saúde pública, o Ministério da Saúde utilizou o seu poder de compra para fazer as aquisições em apoio irrestrito aos gestores locais do Sistema Único de Saúde (SUS) e, assim, fortalecer a rede pública no enfrentamento da doença em todos os estados.

TRANSPARÊNCIA

A transparência e o uso da tecnologia em prol da saúde pública são marcas da gestão do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. Por meio da plataforma Localiza SUS, a população pode acompanhar a quantidade de EPI, medicamentos, ventiladores pulmonares distribuídos a cada estado. O painel on-line também o número de leitos habilitados em todo país, testes entregues e insumos disponibilizados, informando o cidadão sobre tudo o que foi comprado, doado e distribuído para o enfrentamento da pandemia de Covid-19.

TESTAGENS

O Brasil já registra 86,3% de casos de pessoas recuperadas da Covid-19 no país, com quase 4 milhões de vidas salvas. Os casos de hospitalizações e de pacientes em acompanhamento também apresentaram estabilidade na curva, com forte tendência de redução. Durante a apresentação do novo boletim epidemiológico, nesta quinta-feira (23), também ainda foi mostrado o quantitativo de testes distribuídos para diagnóstico da Covid-19 no Brasil.

Até 19 de setembro, o Ministério da Saúde enviou mais de 15 milhões de testes para diagnósticos da doença, sendo 7 milhões de RT-PCR (biologia molecular) e 8 milhões de testes rápidos (sorologia). A pasta distribui os testes conforme a capacidade de armazenamento dos estados e disponibiliza centrais de testagem, que podem ser utilizadas pelos gestores locais quando a capacidade de produção dos laboratórios estaduais chega ao limite.

Até o dia 19 de setembro, foram realizados mais de 6,4 milhões de exames de RT-PCR para Covid-19, sendo 3,75 milhões na rede pública e 2,67 milhões nos laboratórios privados. Sobre os testes sorológicos, segundo dados do sistema e-SUS Notifica, foram realizados no país mais de 8,3 milhões de exames nas redes pública e privada.

Por Bruno Cassiano, do Ministério da Saúde
Atendimento à imprensa
61 3315.3580 / 2745

Author:
Posted: September 23, 2020, 11:11 pm

Brasil registra 3.992.886 milhões de pessoas recuperadas

Número é superior à quantidade de casos ativos, ou seja, pessoas que estão em acompanhamento médico. Informações foram atualizadas às 17h desta quarta-feira (23/09)

O Brasil alcançou a marca de 3.992.886 pessoas curadas da Covid-19. No mundo, estima-se que pelo menos 17 milhões de pessoas diagnosticadas com Covid-19 já se recuperaram. O número de pessoas curadas no Brasil é superior à quantidade de casos ativos (493.022), que são os pacientes em acompanhamento médico. O registro de pessoas curadas já representa mais da metade do total de casos acumulados (86,3%). As informações foram atualizadas às 17h de hoje (23/09) e enviadas pelas secretarias estaduais e municipais de Saúde.

A doença está presente em 99,6% dos municípios brasileiros. Contudo, mais da metade das cidades (3.718) possuem entre 2 e 100 casos. Em relação aos óbitos, 4.346 municípios tiveram registros (78%), sendo que 786 deles apresentaram apenas um óbito confirmado.

O Governo do Brasil mantém esforço contínuo para garantir o atendimento em saúde à população, em parceria com estados e municípios, desde o início da pandemia. O objetivo é cuidar da saúde de todos e salvar vidas, além de promover e prevenir a saúde da população.

Dessa forma, a pasta tem repassado verbas extras e fortalecido a rede de atendimento do Sistema Único de Saúde (SUS), com envio de recursos humanos (médicos e profissionais de saúde), insumos, medicamentos, ventiladores pulmonares, testes de diagnóstico, habilitações de leitos de UTI para casos graves e gravíssimos e Equipamentos de Proteção Individual (EPIS) para os profissionais de saúde.

O Ministério da Saúde já enviou mais de R$ 83,9 bilhões a estados e municípios para o financiamento das ações e serviços públicos de saúde, sendo R$ 25,6 bilhões voltados exclusivamente para combate ao coronavírus. Também já foram comprados e distribuídos mais de 20,3 milhões de unidades de medicamentos para auxiliar no tratamento do coronavírus, 255,4 milhões de EPI, mais de 14,5 milhões de testes de diagnóstico para Covid-19 e 79,9 milhões de doses da vacina contra a gripe, que ajuda a diminuir casos de influenza e demais síndromes respiratórias no meio dos casos de coronavírus.

O Ministério da Saúde, em apoio a estados e municípios, também tem ajudado os gestores locais do SUS na compra e distribuição de ventiladores pulmonares, sendo que já entregou 10.711 equipamentos para todos os estados brasileiros.

As iniciativas e ações estratégicas são desenhadas conforme a realidade e necessidade de cada região, junto com estados e municípios, e têm ajudado os gestores locais do SUS a ampliarem e qualificarem os atendimentos, trazendo respostas mais efetivas às demandas da sociedade. Neste momento, o Brasil tem 4.624.885 casos confirmados da doença, sendo 33.281 registrados nos sistemas nacionais nas últimas 24h.

Em relação aos óbitos, o Brasil possui 138.977 mortes por coronavírus. Nas últimas 24h, foram registradas 869 mortes nos sistemas oficiais, a maior parte aconteceu em outros períodos, mas tiveram conclusão das investigações com confirmações das causas por Covid-19 apenas neste período. Assim, 287 óbitos, de fato, ocorreram nos últimos três dias. Outros 2.422 permanecem em investigação.

Ministério da Saúde
(61) 3315-3580 / 2351 / 3713
localizasus.saude.gov.br

Author:
Posted: September 23, 2020, 9:48 pm

Semana de Doenças Crônicas Não Transmissíveis tem inscrições adiadas

Evento ocorre de 5 a 9 de outubro. A programação contará com webinários diários sobre o cenário e perspectivas das DCNT

As inscrições para a Semana de Doenças Crônicas não Transmissíveis (DCNT), que será realizada entre os dias 5 e 9 de outubro, foram adiadas devido a problemas técnicos. O novo prazo para as inscrições terá início no dia 25 de setembro e será encerrado no dia 1º de outubro. O evento é organizado pelo Ministério da Saúde, por meio da sua Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS). As inscrições poderão ser feitas gratuitamente no site www.semanadcnt.com.br.

A programação contará com webinários diários, sempre das 10h às 12h, com exposições e debates sobre o cenário e perspectivas das Doenças não transmissíveis no Brasil, incluindo o período da pandemia da COVID-19.

Desde 2018 é realizada a "Global Week¿for¿Action¿on¿NCDs" (nome em inglês do evento) reunindo a comunidade internacional para debater e propor ações para o combate e o enfrentamento das DCNT.

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), o câncer, diabetes, doenças cardiovasculares e doenças respiratórias crônicas são responsáveis por cerca de 70% das mortes em todo o mundo. A cada ano, em torno de 15 milhões de pessoas entre 30 e 69 anos são vítimas dessas doenças.

Dessas mortes, mais de 85% ocorrem em países de baixa e média renda. No Brasil, essas doenças representam a principal causa de óbito em pessoas dessa faixa etária. Em 2018, foram responsáveis por 57% de todas as mortes ocorridas no país.

Confira abaixo a lista de temas dos Webnários:

  • 05/10: O panorama das DCNT

Objetivo: Apresentar os resultados do monitoramento das DCNT desde a implementação do Plano. Discutir os desafios, perspectivas e ações futuras no Brasil e nas Américas.

  • 06/10: Implicações da COVID-19 nas DCNT

Objetivo: Debater sobre os impactos da Pandemia da COVID-19 no âmbito das DCNT,apresentando os resultados das pesquisas que avaliaram recentemente os comportamentos associados aos fatores de risco para as doenças crônicas não transmissíveis. Apresentar a ações da atenção primária à saúde no cuidado das DCNT para minimizar as consequências da Pandemia.

  • 07/10: Desafios para a prevenção das DCNTs e manutenção de hábitos de vida saudáveis: inclusão da Saúde Mental e da Poluição do Ar como fatores de risco.

Objetivo: Discutir a importância da redução dos fatores de risco e da promoção de hábitos saudáveis para a prevenção e controle das DCNT introduzindo a matriz 5x5 da da OMS (poluição do ar e saúde mental).

  • 08/10: Experiências exitosas na prevenção, controle aos fatores de risco e atenção às DCNT.

Objetivo: Apresentar casos de sucesso no enfrentamento das DCNT em estados e municípios, destacando as estratégias, as dificuldades e as melhores práticas a serem replicadas.

  • 09/10: O papel da vigilância integrada à atenção e o advocacy como estratégia para sua operacionalização.

Objetivo: Apresentar o conceito de advocacy a fim de contextualizar sua aplicação na vigilância integrada das DANTs a partir da esfera federal. Compartilhar experiências exitosas em nível municipal e/ou estadual do uso de advocacy como estratégia para políticas no enfrentamento dos fatores de risco.

Author:
Posted: September 23, 2020, 1:09 pm

Share and Enjoy !

0Shares
0 0